segunda-feira, 14 junho 2021
  • Início

Extraordinária jornada do 1.º de Maio no Distrito de Leiria

SAM 3228 min min

A DORLEI do PCP saúda os trabalhadores, os seus sindicatos de classe, a União dos Sindicatos do Distrito de Leiria e a CGTP-IN pela extraordinária jornada do 1.º de Maio em Leiria, na qual participaram mais de 350 trabalhadores que percorreram as ruas da cidade numa grande demonstração de força e de unidade.

Neste 1.º de Maio, a DORLEI do PCP reafirma a sua determinação na intervenção e luta pela valorização do trabalho e dos trabalhadores, pelo aumento geral dos salários, a diminuição do horário de trabalho para 35 horas para todos os trabalhadores, o combate à desregulação dos horários e pela melhoria das condições de trabalho. A DORLEI do PCP apela ainda à participação na Manifestação Nacional convocada para o próximo dia 8 de Maio, na cidade do Porto.

Imprimir Email

PCP saúda os trabalhadores da Santos Barosa na Marinha Grande pela unidade e firmeza demonstradas, uma vez mais, na luta pelos seus direitos

179030293 4180447551978879 3500069695155035951 n

A Direcção da Organização Regional de Leiria (DORLEI) do Partido Comunista Português saúda e apoia os trabalhadores da Santos Barosa, na Marinha Grande, pela determinação demonstrada na continuação da luta pelo aumento digno dos salários, a valorização do subsídio de laboração contínua, a redução do horário de trabalho para as 35 horas semanais e por outras melhorias nas condições de trabalho. Expressa igualmente a sua solidariedade aos trabalhadores da Vidrala Logistic, também na Marinha Grande, que realizaram uma corajosa greve de dois dias por aumentos salariais e melhorias nos seus direitos.

A Greve dos trabalhadores da Santos Barosa, convocada pelo Sindicato dos Trabalhadores da Indústria Vidreira (STIV / CGTP-IN), que se iniciou no passado dia 26 de Abril e que terminou ontem dia 28, foi mais uma notável demonstração de unidade e determinação face à recusa da Administração em negociar de forma séria com os representantes dos trabalhadores e perante inaceitáveis manobras de pressão e chantagem da Administração nos dias anteriores à Greve.

A resposta fez-se sentir pela forte adesão e a presença de centenas de trabalhadores nos sucessivos piquetes de Greve, pela solidariedade demonstradas por trabalhadores de outras empresas e pela população da Marinha Grande, pelo Movimento Sindical Unitário -  expresso na presença de vários dirigentes da União dos Sindicatos do Distrito de Leiria – incluindo da Coordenadora USDLeiria, Ana Rita Carvalhais – e da secretária geral da CGTP, Isabel Camarinha.

Mais uma vez o PCP expressou a sua solidariedade aos trabalhadores em greve, quer na Vidrala Logistics quer na Santos Barosa, com a presença solidária de dirigentes nacionais e regionais do Partido, bem como de eleitos nos órgãos de poder local, junto dos vários dos piquetes de greve.

O PCP reafirma a sua determinação na intervenção e luta pela valorização do trabalho e dos trabalhadores, pelo aumento geral dos salários, incluindo do Salário Mínimo para 850 Euros, a diminuição do horário de trabalho para 35 horas para todos os trabalhadores, o combate à desregulação dos horários e pela melhoria das condições de trabalho, incluindo as condições de protecção sanitária face à pandemia, nomeadamente dos trabalhadores que ao longo do último ano nunca pararam de laborar, como é o caso dos operários vidreiros.

O PCP apela aos trabalhadores e à população em geral para participarem nas acções de luta convocadas pela CGTP/IN, nomeadamente a Manifestação do 1º de Maio em Leiria, às 15:30 com início no Jardim da Almuinha Grande, e a Manifestação Nacional convocada para o próximo dia 8 de Maio no Porto, por ocasião da chamada “Cimeira Social” da União Europeia.

Marinha Grande, 29 de Abril 2021
A Direcção da Organização Regional de Leiria
do Partido Comunista Português

Imprimir Email

Clara Abrantes é a candidata à Presidência da Câmara Municipal de Peniche

Clara Abrantes CM Peniche

A Coordenadora do Distrito de Leiria da Coligação Democrática Unitária informa que a candidata da CDU à Presidência da Câmara Municipal de Peniche é Maria Clara Escudeiro Santana Abrantes.

A decisão da Coordenadora da CDU de Peniche foi tomada no quadro de um amplo processo de auscultação aos militantes do PCP e do PEV e aos muitos independentes que integram a CDU e confirmada pela plenário de activistas da CDU Peniche realizado no passado dia 17 de Abril.

A candidatura de Clara Abrantes à Câmara Municipal de Peniche personifica a vontade da CDU de após 4 anos de estagnação e imobilidade, recuperar a presidência da Câmara Municipal e  retomar o curso de afirmação do Concelho de Peniche no plano nacional e internacional, desenvolvimento económico, criação de emprego, inovação, aposta nas áreas da saúde, educação, apoio social, desporto e associativismo, descentralização e envolvimento das populações das diferentes freguesias nas principais decisões estruturantes do Concelho.

Clara Abrantes, de 58 anos, é casada e foi vereadora da Câmara Municipal de Peniche entre 2009 e 2017. Exerce actualmente a sua profissão de enfermeira no Centro de Saúde de Peniche, nos polos de Atouguia da Baleia e Serra D’ El Rei.

A Apresentação Pública da Candidata à Presidência da Câmara de Peniche ocorrerá no próximo dia 22 de Abril, Quinta Feira, às 18:00h, no Auditório do Edifício Cultural da Câmara Municipal de Peniche.

Nesta iniciativa, que contará com uma declaração de Clara Abrantes, a CDU apresentará também os Candidatos às Presidências da Juntas de Freguesia de Atouguia da Baleia e de Serra D’ El Rei.

 

Notas Biográficas de Clara Abrantes:

Clara Abrantes tem 58 anos de idade e é casada. Licenciada em Enfermagem pela Escola Superior de Enfermagem de Santarém, é especialista em Enfermagem na Comunidade e Mestre em Comunicação em Saúde. Exerceu a profissão de enfermeira no Hospital Distrital de Peniche entre 1985 e 1993, no Centro de Saúde de Peniche de 1993 a 2007 e de 2018 até hoje.

No exercício das suas funções profissionais Clara Abrantes assumiu funções de Chefia de enfermagem e Direcção do Centro de Saúde de Peniche de 1999 a 2003 e de 2006 a 2007.

Assumiu ainda funções de Coordenação do Projecto Ala-Arriba entre 2005 e 2007, presidiu ao Conselho da Comunidade do Aces Oste Norte de 2009 a 2014, foi um dos rostos das acções em defesa do Hospital de Peniche e organizou várias feiras da saúde em Peniche.

Com um vasto percurso de intervenção cívica e política, e caracterizada por uma constante ligação às populações, nomeadamente aos seus sectores mais desprotegidos, Clara Abrantes foi Membro da Assembleia de Freguesia de Atouguia da Baleia entre 2005 e 2009, foi Adjunta do Gabinete de Apoio Pessoal do Presidente da Câmara Municipal de Peniche António José Correia, com responsabilidades de coordenação da área social, entre 2007 e 2009 e foi Vereadora da Câmara Municipal entre 2009 e 2017, tendo assumido a responsabilidade dos pelouros da Acção Social e Solidariedade Social, Associativismo, Juventude e Saúde.

Clara Abrantes é um dos principais rostos da obra realizada pela CDU durante os três mandatos em que esta força política assumiu a condução dos destinos do Concelho de Peniche.

O traço mais marcante de Clara Abrantes é o seu compromisso de sempre, que determina a sua vida política e profissional, com as questões sociais, de defesa da saúde pública e de outros direitos sociais, de capacitação social e intervenção no combate aos principais problemas sociais do Concelho de Peniche.

Enquanto vereadora da Câmara Municipal de Peniche os seus mandatos ficaram marcados por uma profunda sensibilidade social e por obra concreta nesse e noutros campos.

A título de exemplo deixou uma marca distintiva no Desenvolvimento de Animação comunitária com ações promotoras de coesão social, com um forte envolvimento dos parceiros de todos os sectores (saúde, educação, forças de segurança e proteção social) e numa Gestão de Proximidade com um trabalho de grande atenção e de proximidade à população numa situação mais fragilizada: famílias em situação de carência económica, pessoas idosas, pessoas com deficiência, crianças negligenciadas ou outras pessoas com necessidade especial de apoio.

Clara Abrantes é um dos principais rostos do que melhor se fez em Peniche nas áreas da Política Social de Habitação, Intervenção e Capacitação Comunitária, apoio à população idosa, estímulo e apoio ao associativismo (nomeadamente com a implementação da carta local do associativismo), dinamização das políticas de juventude, apoio à criação de emprego, entre várias outras obras e projectos a que sempre se dedicou.

Imprimir Email

A situação da Lagoa de Óbidos - nota das Comissões Concelhias de Óbidos e Caldas da Rainha

Lagoa de Óbidos

O DESASSOREAMENTO DA LAGOA DE ÓBIDOS NÃO PODE ESPERAR MAIS!

Os planos prometidos de desassoreamento da Lagoa de Óbidos têm sido marcados pelo protelamento e dilacção.

Após a intervenção de 2015/2016, em que a deficiente dragagem de 716 mil metros cúbicos deixou zonas com reduzida oxigenação e em que o efeito das marés devolveu à água uma boa parte dos dragados indevidamente colocados nas margens, foi por fim aprovada, em Conselho de Ministros, a 14 de Dezembro de 2017, a segunda fase dos trabalhos. No cronograma apresentado com alguma solenidade pelo ministro do Ambiente, Matos Fernandes, previa-se o arranque das obras em Setembro-Outubro de 2019. As declarações ministerais eram categóricas: não haveria mais nenhum adiamento!

No entanto, o facto é que, passadas as eleições legislativas, a tão propagandeada e inadiável segunda fase resvalou para Março de 2020, posteriormente para Julho, a seguir para Setembro. Todavia, só em Outubro de 2020 foi feito o contrato de adjudicação, por 14,7 milhões de €uros, ao consórcio Alexandre Barbosa Borges S. A. (ABB)/Construction Maritime et Fluvial (VINCI), o qual seria remetido para o Tribunal de Contas, que, em Dezembro, o devolve à Agência Portuguesa do Ambiente, para prestação  de esclarecimentos de teor administrativo e financeiro. Aqui chegados, o arranque dos trabalhos passou para Janeiro de 2021 e depois, "impreterivelmente" para Março de 2021.

O PCP, que desde o primeiro momento tem lutado pela recuperação ambiental da Lagoa, alertou em devido tempo para o facto de ser incompreensível a inação das autarquias de Óbidos e Caldas da Rainha na classificação da Lagoa como área protegida de âmbito regional e também para a circunstância de que, apesar das afirmações governamentais repetidamente anunciadas, se corria o sério risco de, mais uma vez, as promessas não serem cumpridas. A verdade é que se chegou a Abril e nada aconteceu!

Acresce que um outro grave problema, o da poluição, que ameaça a Lagoa, volta a não ser contemplado. A APA subestima a questão, admitindo, a contragosto, o nível 2 (numa escala de 0 a 5) em alguns pontos, quando é certo detectar-se a presença de metais pesados, nomeadamente crómio, que, em outros pontos, pode até atingir o nível 4. 

Os trabalhos têm um prazo de execução de 550 dias para remoção de 850 000 m³ de dragados, a serem lançados no mar através de tubos. Quanto mais tarde começarem, pior será!

A continuada falta de resposta por parte do Governo é inaceitável e merece por parte do PCP, uma crítica veemente e frontal e a certeza de que se baterá, como sempre o fez, de forma empenhada, pela resolução deste problema, em defesa da Lagoa, dos que dela vivem e trabalham, dos seus frequentadores, e da qualidade de vida das populações.

5 de Abril de 2021
As Comissões Concelhias de Óbidos e Caldas da Rainha do
Partido Comunista Português

Imprimir Email

Os recentes acontecimentos no IC8 - nota da Comissão Concelhia de Ansião

IC8 Ansiao 1200x684

Face aos recentes acontecimentos no IC8 e o anúncio de uma intervenção visando o desnivelamento do nó do Parque Industrial do Camporês, a Comissão Concelhia de Ansião do PCP considera que:

1 – O desnivelamento do nó do Parque Industrial do Camporês e a intervenção prevista no PNI 2030 no troço Casas Brancas (A17) - Pombal não resolvem os graves problemas existentes no IC8, designadamente no troço Pombal-Avelar onde o chamado “Itinerário Complementar” atravessa localidades, contem inúmeros cruzamentos de nível e tem um perfil, traçado e limites de velocidade em vários troços incompatíveis com uma via desta natureza.

2 – O facto de o PNI 2030 prever apenas estas duas obras prova a inexistência de um plano global de intervenção que dê resposta aos gravíssimos problemas do IC8 que já causaram a morte a dezenas de pessoas, como é exemplo o recente acidente que vitimou mais um condutor.

3 - O PCP sublinha e reafirma a necessidade de uma intervenção estrutural com alteração do traçado e perfil do IC8, especialmente entre Avelar e Pombal, que desvie para fora das localidades o trânsito regional e nacional, nomeadamente o trânsito de pesados, permitindo uma maior velocidade média de circulação.

Tal solução permitiria o transito concelhio e local em condições de segurança no actual traçado da EN e uma maior fluidez e rapidez no trânsito regional e nacional, nomeadamente de mercadorias, num novo traçado do IC8. Esta seria a melhor solução para o desenvolvimento das actividades económicas e o turismo no Concelho e na Região e para a segurança rodoviária.

Dados os elevados custos das obras de desnivelamento de cruzamentos, mais uma vez confirmada com o orçamento para o desnivelamento do cruzamento do Camporês, o PCP considera que a solução de um novo traçado pode incusivé ser menos onerosa do que uma sucessão de intervenções parcelares.

4 - A questão do IC8 está longe de ser o único problema existente no Concelho de Ansião no que toca à rede viária. A degradação da rede municipal rodoviária e a inexistência de urbanismo de segurança rodoviária na maior parte das vias periféricas são problemas há muito sentidos e que se vem agravando. Disso são exemplos as vias: CM1094 Chão de Couce (Serra do Mouro); a estrada da Junqueira N348, a estrada CM1077 Alvorge – Vale Florido, a Estrada Municipal 560 e a Estrada Municipal 559 que atravessa a localidade de Lagarteira, entre muitas outras.

5 - O PCP considera que o direito à mobilidade das populações não se resolve apenas com a qualidade e traçado das redes viárias. Nesse sentido a Comissão Concelhia considera urgente a reflexão e tomada de decisões sobre soluções para dotar o Concelho e a Região do Pinhal Interior Norte de um serviço de transportes públicos digno desse nome, de qualidade, menos poluente, com horários adequados às necessidades das populações e à promoção das actividades económicas, nomeadamente o turismo.

É inadmissível que nas ligações de Ansião a Pombal e a Coimbra existam apenas duas carreiras por dia e que o transporte público dentro do Concelho se resuma ao transporte escolar. Este é um dos principais problemas do Concelho de Ansião no que toca ao direito à mobilidade, tanto mais que vários concelhos do PIN não são servidos por transporte ferroviário.

6 - O PCP reafirma a sua proposta, reiterada pela CDU nas eleições legislativas de 2019, de um programa integrado de mobilidade para o Distrito de Leiria que identifica a Linha ferroviária do Oeste modernizada como eixo estruturante de um sistema integrado de transporte público que, relativamente ao Pinhal Interior Norte, passaria por um sistema de vaivém em transporte colectivo rodoviário não poluente a partir das estações ferroviárias do Louriçal e Pombal, articulado com transportes colectivos municipais e intermunicipais na região do PIN.

31 de Março
A Comissão Concelhia de Ansião do
Partido Comunista Português

Imprimir Email

Mais artigos...