sábado, 28 novembro 2020
  • Início

QUANTAS MAIS VÍTIMAS SERÃO PRECISAS PARA REQUALIFICAR O IC8?

ic8

O mais recente e trágico acidente ocorrido no Itinerário Complementar Nº 8 (IC8) vem, pela pior das razões, confirmar a necessidade urgente de o Governo e a Infra-estruturas de Portugal, IP, intervirem no IC8, no sentido da adequada requalificação daquela via, pondo cobro à gravíssima sinistralidade que ali recorrentemente ocorre.

Como a Direcção da Organização Regional de Leiria, do Partido Comunista Português, tem vindo sistematicamente a defender, justifica-se a requalificação do IC8, de modo a que os índices de segurança rodoviária aumentem, pondo cobro à ocorrência de acidentes de elevadíssima gravidade, com consequências tão trágicas como o mais recente.

De facto, há muitos anos a esta parte que o PCP se bate pelo combate à sinistralidade no IC8 e à sua requalificação, quer através de posições políticas, quer com propostas fundamentadas em sede dos orçamentos do Estado/planos de investimento e desenvolvimento da administração central (PIDDAC).

Até hoje, apesar de a Assembleia da República, por proposta do PCP, ter aprovado uma recomendação ao Governo, para que este tomasse a decisão adequada à implementação de um plano de requalificação do IC8, nada foi feito, apesar da urgência da intervenção naquela via rodoviária.

E neste sentido o PCP identifica como um dos investimentos prioritários em infra-estruturas do distrito a melhoria, desnivelamento de cruzamentos e duplicação de vias na rede viária de acesso ao interior do distrito (IC8) assim como a sua ligação à A23.

Contudo, quer o actual governo do PS, quer os anteriores, do PSD e CDS, nada fizeram para proceder à requalificação do IC8, pelo que lhes devem ser assacadas as adequadas responsabilidades políticas pelas tragédias ciclicamente ocorridas nesta via de importância estruturante para a região do Pinhal Interior Norte.

O PCP irá intervir mais uma vez na Assembleia da República para exigir o cumprimento, pela parte do Governo, das responsabilidades que lhe competem na protecção da segurança rodoviária e na protecção de todos os utentes desta via de comunicação.

A DORLEI manifesta o seu profundo pesar e sentimentos de solidariedade para com as famílias e amigos da vítima de mais este trágico acidente.

Marinha Grande, 5 de Março de 2020.

O Gabinete de Imprensa da

Direcção da Organização Regional de Leiria do

Partido Comunista Português

Imprimir Email

PCP saúda trabalhadores em luta na Vista Alegre Atlantis

vista alegre atlantis

A Direcção da Organização Regional de Leiria (DORLEI) do PCP saúda os trabalhadores da Vista Alegre Altantis pela exemplar jornada de luta que acabam de levar a cabo. A adesão de mais de 90% dos trabalhadores à Greve de 24 horas constitui uma inequívoca demonstração da unidade dos trabalhadores, da sua determinação em defender os seus direitos e uma poderosa resposta à recusa da Administração em dialogar com os trabalhadores e os seus representantes.

A DORLEI do PCP expressa o seu apoio às reivindicações dos trabalhadores de aumento de 90 euros no salário, aumento do subsídio de refeição para cinco euros, redução do horário de trabalho para 35 horas semanais, direito a 25 dias de férias, diuturnidades para valorizar os trabalhadores com mais anos ao serviço na empresa e igualdade salarial entre homens e mulheres, entre outras.

O PCP sublinha que as revindicações dos trabalhadores da Altantis por melhores rendimentos e mais direitos representam uma muito pequena parte dos lucros da empresa, que têm vindo a aumentar muito significativamente desde 2016. Os trabalhadores da Atlantis, tal como em geral todos os trabalhadores, exigem aquilo que lhes pertence por direito, uma repartição mais justa da riqueza criada com o seu próprio trabalho, um rendimento que lhes permita viver melhor e com mais justiça social e condições e horários de trabalho compatíveis com os direitos à realização pessoal, ao descanso e à vida familiar com qualidade.

28 de Fevereiro 2020

O Gabinete de Imprensa da 
Direcção da Organização Regional de Leiria do 
Partido Comunista Português

Imprimir Email

Lançamento da Campanha "Valorizar o trabalho e os trabalhadores. Não à exploração!"

20181026 jantar martingança1 copia

PCP lança campanha de contacto e esclarecimento junto dos trabalhadores no Distrito de Leiria 

A Organização Regional de Leiria do PCP dará início, na próxima sexta-feira, 7 de Fevereiro, a uma campanha de contacto e esclarecimento junto dos trabalhadores do Distrito de Leiria com o lema “Valorizar o trabalho e os Trabalhadores. Não à exploração”.

O arranque desta campanha, inserida numa acção nacional do PCP com o mesmo lema, será marcado pela realização, num único dia, (7 de Fevereiro) de 21 acções de contacto e distribuição de propaganda, em 21 empresas  e outros locais de trabalho do Distrito de Leiria distribuídas pelos Concelhos de Ansião, Pombal, Leiria, Marinha Grande, Alcobaça, Porto de Mós, Batalha, Caldas da Rainha, Bombarral e Peniche

A campanha, que se prolongará durante todo o primeiro semestre de 2020 com outras acções de contacto, iniciativas diversas e acções de esclarecimento dirigidas a sectores específicos, tem como objectivos centrais: a denuncia do agravamento da exploração do trabalho e as suas causas, nomeadamente os avultados lucros dos grandes grupos económicos que contrastam com uma política de baixos salários; a propagação da ideia de que, como os últimos quatro anos mostraram, vale a pena lutar pelos rendimentos e direitos dos trabalhadores; o estímulo à unidade, luta e movimento reivindicativo dos trabalhadores; a divulgação das posições e propostas do PCP para a defesa de quem trabalha e que visam levar ainda mais longe a reposição e a conquista de rendimentos e direitos do trabalho.

Temas como: a exigência do fim da precariedade e da desregulação dos horários; o respeito por direitos laborais e sindicais, nomeadamente da contratação colectiva; a reivindicação do direito às 35 horas semanais para todos os trabalhadores; o respeito e cumprimento dos direitos dos trabalhadores por turnos; o aumento mínimo de 90 euros para todos os trabalhadores e do salário mínimo para 850 Euros mensais, serão tocados pela campanha a que o PCP dá agora início no Distrito de Leiria.

Na Sexta Feira, dia 7 de Fevereiro, vários dirigentes regionais e concelhios do PCP marcarão presença à porta de 21 empresas do Distrito cuja lista se divulga com este comunicado. A campanha decorrerá depois, até Junho de 2020, com dezenas de iniciativas como debates, sessões de esclarecimento, acções dirigidas, visitas de deputados do PCP, levantamento de problemas, entre outras

Horários e Localizações das Acções de contacto do PCP na Sexta Feira – 7 de Fevereiro:

07:30 - Leiria - Hospital de Santo André; Pombal - Sumol+Compal; Marinha Grande – Estaleiros da CM da Marinha Grande; Alcobaça – SPAL; Bombarral – Sociedade Agrícola Quinta da Freiria

08:30 - Leiria – Centro Regional de Segurança Social; Leiria – Edificio da CM de Leiria

12:00 - Ansião (Avelar) – Avelmod Téxtil

12:15 - Marinha Grande – CRISAL; Marinha Grande – BA Vidro; Leiria – Novares; Alcobaça – Altantis

13:30 - Pombal – Iber-oleff

14:00 - Peniche – Thay Union (ESIP)

14:30 - Caldas da Rainha – Schaeffler

16:30 - Caldas da Rainha – Promol

17:00 - Caldas da Rainha – Bordallo Pinheiro; Peniche – CM Peniche e SMAS; Porto de Mós – Mat-Cerâmica

17:30 - Ansião – Zona Industrial do Camporez

20:15 - Marinha Grande – Gallo Vidro

 

Imprimir Email

PCP QUESTIONA O GOVERNO SOBRE ATRASOS NA APLICAÇÃO DOS DESCONTOS NOS PASSES NA LINHA DO OESTE

comboio linha oeste

O Grupo Parlamentar do PCP apresentou no dia 3 de Janeiro, na Assembleia da República, uma Pergunta ao Ministro das Infraestruturas e Habitação  sobre o já anunciado atraso na aplicação dos novos descontos no preço dos passes na Linha do Oeste, na ligação entre a Comunidade Intermunicipal do Oeste e a Área Metropolitana de Lisboa. Tal atraso contrasta com o que aconteceu com os operadores rodoviários cujos descontos vigoram desde 1 de Janeiro.

Trata-se de uma situação que discrimina os utentes da Linha do Oeste, a exemplo do que aconteceu em 2019, em que os descontos na ferrovia só entraram em vigor em Junho, enquanto que nas ligações rodoviárias em Abril já estavam em vigor.

No caso do transporte ferroviário, a Autoridade de Transportes é o próprio Governo pelo que o processo de aplicação dos novos preços dos passes deveria estar facilitado, devendo ficar desde logo garantida a compensação à CP pelos custos da redução das tarifas, daí que a situação que agora se verifica e que prejudica e discrimina os utentes da Linha do Oeste seja a todos os níveis inaceitável e incompreensível.

Já em 2019, o PCP defendeu na Assembleia da República a articulação tarifária e a promoção da redução de preços dos transportes nas ligações entre áreas metropolitanas e comunidades intermunicipais limítrofes. Não foi por falta de alerta ou de iniciativa do PCP que este problema se volta a verificar, a repetição desta discriminação tem um único responsável: o Governo.

A DORLEI do PCP reitera que a intermodalidade e a redução tarifária em todo o País é indispensável, com um tecto máximo nacional de 40 euros para um passe mensal que dê acesso aos transportes públicos de cada região e proporcionalmente às ligações pendulares inter-regionais.

4 de Janeiro de 2020

O Gabinete de Imprensa da

Direcção da Organização Regional de Leiria do

Partido Comunista Português

Imprimir Email

PCP expressa pesar pelo falecimento de Norberto Barroca

Norberto Barroca

O Secretariado da Direcção da Organização Regional de Leiria do PCP expressa o seu pesar e consternação pelo falecimento do Arquitecto Norberto Barroca, natural da Marinha Grande, uma das mais ilustres figuras deste Concelho e uma referência nacional na área da cultura.

Nascido na Marinha Grande em 1937, Norberto Barroca foi uma figura destacada da Cultura na Marinha Grande e no plano nacional, e simultaneamente um homem de valores e de causas progressistas, com profundas preocupações sociais.

Como homem da cultura, foi actor, declamador, encenador, cenógrafo, figurinista, professor e autor. Esteve desde cedo ligado ao teatro, tendo tido ao longo da sua vida ligação a quase todas as principais Companhias e Grupos de Teatro do País, tendo dirigido ou tido um papel de grande destaque em várias delas. Manteve sempre uma grande ligação à sua terra natal e à sua História, tendo sido responsável pela encenação de importantes reconstituições da História da Marinha Grande como a Revolta Operária do 18 de Janeiro de 1934 e a Chegada dos Stephens à Marinha Grande.

Homem que sempre recusou protagonismos, nele prevalecia a modéstia e a simplicidade, apanágio das gentes laboriosas e com sentido de classe, que são timbre da terra em que nasceu e do seu próprio percurso enquanto cidadão – um democrata e progressista, defensor das liberdades, da Democracia e dos Valores de Abril.

No momento do seu falecimento o PCP recorda e valoriza a cooperação que em várias situações e momentos Norberto Barroca desenvolveu com o PCP, nomeadamente no âmbito da CDU e do poder local, tendo sido candidato pela APU e pela CDU em vários actos eleitorais autárquicos à Assembleia Municipal e à Câmara Municipal da Marinha Grande, exercido o cargo de assessor para a cultura na CM da Marinha Grande e sido apoiante da CDU no Porto.

Norberto Barroca deixa uma grande obra e um importante legado que devem ser valorizados e reconhecidos, nomeadamente na sua terra natal. Com o seu desaparecimento a cultura e a cidadania portuguesas ficam mais pobres, mas são ricos os exemplos e ensinamentos que nos deixa.

O Secretariado da DORLEI do PCP endereça à família de Norberto Barroca os mais sentidos pêsames e a solidariedade do Partido Comunista Português.

Marinha Grande, 3 de Janeiro 2020

O Secretariado da Direcção da Organização Regional de Leiria do

 Partido Comunista Português

Imprimir Email

Mais artigos...