sexta-feira, 24 setembro 2021

Posições Políticas

Acentua-se a degradação da situação social no distrito.

jsousaDecorrente da política de direita realizada pelo governo do PS/Sócrates as falências sucedem-se, a ameaça de encerramento de unidades fabris ou secções aumenta e com ele cresce o desemprego. O ataque aos direitos dos trabalhadores e a precariedade transformou-se em política de Estado.

A situação económica e social da região de Leiria conhece assim um acentuado agravamento.

São disso exemplos últimos, a situação em que se encontra a Bordalo Pinheiro, a Secla, a Tosel (procedeu ao encerramento do forno), a louçarte (com uma greve marcada para o início do dia de amanhã e à qual manifestamos a nossa solidariedade) e as Têxteis Fareleiros, Pivot confecções, a V. Fino e Fábrica Barros, sediadas no interior norte do distrito. As últimas devido a diversos bloqueios quer da Câmara Municipal de Lisboa quer da Caixa Geral de Depósitos têm a sua continuação posta em causa, podendo significar a destruição de 650 postos de trabalho.

Para além do ataque à pequena e média indústria o governo mantém a intenção de agravar o código do trabalho, que constitui uma autêntica declaração de guerra aos trabalhadores portugueses.

No sentido de alertar os trabalhadores para a gravidade do conteúdo das alterações ao código que o governo pretende efectuar, a DORLEI do PCP vai realizar um comício no dia 22 de Fevereiro às 21.30 no Sport Operário Marinhense, com a participação de Jerónimo de Sousa Secretário Geral do partido.

Esta iniciativa enquadra-se na campanha “Basta de Injustiças, mudar de política para uma vida melhor”, que inicia a sua 3ª fase a 25 de Fevereiro com acções de esclarecimento junto dos trabalhadores do distrito.

É com enorme confiança nos trabalhadores e na população do distrito de Leiria que o Executivo da DORLEI apela à luta contra o código da exploração, à participação no comício e na Marcha pela defesa da liberdade e da democracia do dia 1 de Março.

Imprimir Email