quarta-feira, 07 dezembro 2022

Comissões Concelhias

PCP Óbidos saúda a elevada adesão à greve dos trabalhadores não docentes da educação

20170203 greve funcionarios nao docentes escola antonio arroio lisboa
 
A Comissão Concelhia de Óbidos, do Partido Comunista Português, saúda todos os trabalhadores não docentes das Escolas e Jardins de Infância do Concelho, que no passado dia 3 de Fevereiro participaram na greve nacional convocada pelos Sindicatos da Função Pública, numa afirmação da sua vontade em defender a Escola Pública e melhores condições de trabalho e de vida.
 
A exemplo do que aconteceu em todo o País, onde os níveis de adesão à greve verificados levaram ao encerramento de centenas de escolas e jardins de infância da
Rede Pública, também em Óbidos o número de trabalhadores não docentes é insuficiente e faltam condições de trabalho.
 
Ou seja, não é a municipalização da Escola Pública que resolve os problemas estruturais do sector como o da falta de pessoal, da precariedade generalizada, das deficientes condições de funcionamento de muitos estabelecimentos, da insuficiência de material de apoio e dos baixos salários.
 
De outro modo, os trabalhadores não docentes das Escolas e Jardins de Infância de Óbidos não precisariam de aderir à greve de forma tão expressiva, demonstrando a sua insatisfação pela realidade com que estão confrontados. 
 
Uma realidade que a maioria PSD na Câmara Municipal de Óbidos já não consegue esconder, apesar das medidas ilusórias que tem vindo a adoptar.
 
A Comissão Concelhia de Óbidos do PCP considera que só um forte investimento na Rede Pública de Ensino, bem como a manutenção da sua integral dependência no Ministério da Educação, pode resolver estes graves problemas e garantir uma Escola Pública universal, gratuita, de qualidadee inclusiva.
 
3 de Fevereiro de 2017
 
A Comissão Concelhia de Óbidos
do Partido Comunista Português

Imprimir Email