sábado, 28 novembro 2020
  • Início
  • Acções e Iniciativas
  • Comício "Intervir, Lutar, Avançar", Marinha Grande, 29.11.2019 - Intervenção de André Martelo, Membro do Secretariado e Executivo da DORLEI

Acções e Iniciativas

Comício "Intervir, Lutar, Avançar", Marinha Grande, 29.11.2019 - Intervenção de André Martelo, Membro do Secretariado e Executivo da DORLEI

martelo redimensionada

Camaradas:

Aproxima-se o fim de mais um ano em que foram muitas as tarefas e batalhas travadas pelo nosso Partido e pelos seus aliados.

Aqui no distrito de Leiria, como em todo o país, estivemos sempre na primeira linha da dinamização da luta para resolver os problemas dos trabalhadores e das populações, encaramos com determinação as batalhas eleitorais para o Parlamento Europeu e Legislativas, ao mesmo tempo que desenvolvemos esforços para reforçar a organização do nosso Partido, a sua intervenção e influência.

Foi um ano exigente, em que tivemos de concretizar inúmeras tarefas, dar resposta a muitos desafios, preparar e concretizar muitas iniciativas, enfrentar ataques e campanhas caluniosas contra o nosso partido, dinamizar a luta.

Por vezes tivemos de ir encontrar forças onde achávamos que já não tínhamos, para ir a todas as batalhas com confiança e determinação. E fomos camaradas!

Por isso quero em nome da DORLEI saudar todo este nosso valoroso colectivo partidário que se esforçou e fez muito. Saudar todos os homens e mulheres deste nosso Partido que deram o melhor de si para impedir retrocessos e para avançar!

Temos realizado muitas reuniões e plenários no nosso Distrito para debater o que fizemos, mas sobretudo para ver como avançar, como andar para a frente. E aquilo que sentimos é que a nossa organização está unida, confiante, determinada e com disponibilidade para prosseguir e intensificar a luta.

É isso que iremos fazer: Firmes e determinados aqui estamos prontos para intervir mais e enfrentar todos os desafios, confiantes que é pela luta que lá vamos!

É isso que os últimos quatro anos nos demonstram. A luta e a iniciativa do Partido foram determinantes para impedir retrocessos e projectos reaccionários e para avançar na conquista de direitos. E é nesse caminho que iremos continuar a avançar. Com a força da nossa organização, com a força que os trabalhadores e o povo nos deram nas urnas e com aquela que brotará das lutas diárias que continuaremos a travar lado a lado.

Ao olharmos para trás, temos muito orgulho em tudo o que fizemos.

Realizamos importantíssimas campanhas eleitorais. Esclarecemos, fomos ao contacto e à conversa, ouvimos muita gente, afirmámos as nossas propostas e soluções. Estivemos por todo o distrito, nas empresas e locais de trabalho, percorrendo ruas e bairros, defendendo direitos e levando esperança.

Fizemos tudo isto enfrentando silenciamentos e ataques anticomunistas. Mas isso não nos travou. Avançámos assentes na nossa organização e em unidade com os muitos independentes da CDU; com a Intervenção Democrática; e com o Partido Ecologista os Verdes e a nossa primeira candidata aqui no Distrito, a Heloísa Apolónia, que com grande empenho enfrentou esta batalha connosco.

Estamos orgulhosos, e esse orgulho serve para nos dar força e nos projectar para as tarefas e lutas futuras.

E a luta aí está, a desenvolver-se. Saudamos todos os trabalhadores e trabalhadoras do distrito que nas empresas e locais de trabalho exigem uma melhor distribuição da riqueza, melhores salários e condições de trabalho. Saudamos em particular as lutas dos trabalhadores do sector da educação, que realizaram durante o dia de hoje uma importante jornada de greve, mas também os trabalhadores do sector da saúde, da alimentação e bebidas, do vidro, do sector metalúrgico e dos plásticos, entre tantas outras!

A todos eles dizemos que podem contar com o PCP!

Assim como podem contar os pescadores do nosso Distrito confrontados com novas restrições ao seu ganha pão; os agricultores a braços com inúmeros problemas, e as populações nas muitas lutas que aí estão para travar.

Cá estamos para prosseguir a luta em defesa do pinhal de Leiria. Apresentámos recentemente na Assembleia da República uma proposta que prevê um financiamento de 13 milhões de Euros para de uma vez por todas se avançar na reflorestação, recuperação e valorização do nosso Pinhal, que é de todos e tem de ser para todos! E é por isso que rejeitamos o recente programa do Revive que visa alienar as casas do nosso Pinhal, nomeadamente o Parque do Engenho.

Cá estamos para continuar a lutar pela modernização e requalificação da linha oeste, denunciando os atrasos na concretização das promessas feitas na campanha eleitoral, para insistir na nossa exigência de um passe intermodal com tarifários reduzidos para todo o distrito e de melhoria da rede de transportes públicos em vários concelhos do distrito.

Cá estamos a lutar pelo direito à saúde em todo o distrito, nomeadamente com a exigência da construção de um novo hospital para o sul do distrito e de mais médicos, enfermeiros e auxiliares nos nossos hospitais e nos centros de saúde.

Cá estamos para defender o meio ambiente. Exigindo que se cumpra o que se prometeu relativamente à lagoa de Óbidos; que se cuide das arribas do nosso litoral e que se resolva a poluição nos rios Lis e Alcoa.

Cá estamos em tantas outras lutas como pelo direito à educação pública, de qualidade e para todos; pelo direito a serviços de qualidade como no serviço postal ou na justiça; ou em defesa da cultura.

Será como foi até aqui, a luta de massas o elemento decisivo para garantir novos avanços, pela concretização da política alternativa, patriótica e de esquerda.

Em todas estas lutas lá estão e estarão os comunistas.

Em tempos em que o capitalismo em crise recorre cada vez mais à guerra e ao fascismo, em que no nosso País a campanha anticomunista levanta cabeça, é a luta, a organização, o projecto e a memória que será a nossa resposta.

É nesse contexto que valorizamos a luta vitoriosa pela construção do Museu da Liberdade e Resistência em Peniche. Luta que prossegue até que esteja concluído, para que se conheça a heróica história da resistência ao fascismo.

Também por isso no mês de Dezembro evocaremos os 65 anos da fuga de Dias Lourenço e no dia 4 de Janeiro os 60 anos da fuga colectiva da fortaleza de Peniche. Ainda em Janeiro assinalaremos também os 70 anos do assassinato do camarada José Moreira, natural da Vieira de Leiria, construtor do Avante! E do nosso Partido.

Na história do PCP resistir foi sempre tarefa sempre levada à letra. E foi resistindo que fomos avançando, passo a passo, luta a luta. É honrando a nossa história que aqui estamos para avançar e conquistar o futuro.

E para avançar a mais poderosa ferramenta que temos é a organização. Precisamos por isso, todos, de dar mais para reforçar o nosso Partido.

Mais Partido nas empresas e locais de trabalho concluindo a campanha de 5 mil contactos com trabalhadores em todo o país.

Mais Partido com mais recrutamento de mais gente para as nossas fileiras.

Mais Partido garantindo a nossa independência financeira, garante da sua independência política e ideológica e de mais meios para a nossa actividade e intervenção - daí a importância que estamos a dar à campanha de fundos do dia de salário.

Mais Partido difundindo a nossa imprensa, alargando a venda do avante e reforçando a nossa propaganda.

Mais Partido com mais estruturação, mais militantes com tarefas atribuídas, mais trabalho colectivo, mais discussão para tomar decisões sobre intervenção e organização e concretizar orientações, não fechando o Partido sobre si próprio, antes promovendo todas as formas de ligação às massas.

Num Partido revolucionário como o nosso é da militância de cada um que se faz a força do colectivo partidário. Os desafios que temos pela frente são grandes, mas apaixonantes.

Defenderemos e reforçaremos o Partido, asseguraremos que cumpre o seu papel, garantiremos a sua intervenção e alargamento de influência, firmes e determinados nos objectivos, no ideal e projecto comunista, pois é daí que nos vem a inabalável confiança de que é justa e invencível a causa porque lutamos.

Imprimir Email