segunda-feira, 14 outubro 2019

Comissões Concelhias

Com a força da CDU e das populações, a Zipline “caiu”!

 
N22312
 
 
A luta da CDU – Coligação Democrática Unitária - PCP/PEV, em conjunto com as populações, derrubaram aquilo que se preparava para ser um dos maiores atentados ao património natural no nosso país – a instalação de uma Zipline no promontório da Nazaré.
 
Hoje, dia 17 de Junho de 2019, o executivo do PS na Câmara Municipal da Nazaré, decidiu terminar o procedimento concursal que estava em curso, objectivando a instalação da referida estrutura, contrariando agora a posição sempre assumida pelo seu Presidente, Walter Chicharro, que em entrevista a um canal televisivo no passado Verão, defendia a instalação da Zipline no promontório como estrutura fundamental para o desenvolvimento estratégico da Nazaré.
 
Felizmente, que num raro rasgo de racionalidade o executivo tomou a decisão de andar para trás com esse disparate sem tamanho que promoveu e que esteve na iminência de acontecer! E só não aconteceu porquê? Fundamentalmente, porque a pressão criada pela luta de massas e pela acção continuada do PCP/PEV constitui-se como factor determinante para que este processo não tivesse o desenvolvimento que o executivo do PS pretendia – a instalação da Zipline!
 
Está, portanto, provado que quem luta sempre alcança! E esta foi uma luta enorme! Uma luta assumida por quem realmente quer ver a Nazaré preservada, por quem quer ver intacto o património natural que é de todos e por quem não permite, nem permitirá, que a pretexto de megalomanias sem sentido, se queira descaracterizar uma paisagem que não pertence, como é óbvio, a quem governa a Nazaré – pertence ao mundo – e o mundo defendê-la-á como se provou nos milhares de assinaturas constantes na Petição Digital e em papel provenientes das mais diversas latitudes.
 
O PCP e o PEV combateram em toda a linha neste processo. Na Assembleia Municipal da Nazaré, na Assembleia da República, no Parlamento Europeu. A voz dos deputados comunistas nunca se calou perante tamanho crime ambiental e paisagístico! Mais nenhuma outra estrutura política o fez! Na
 
última campanha ao Parlamento Europeu, os candidatos que integravam as listas da CDU, João Pimenta Lopes e João Delgado do PCP e Isabel Souto do Partido Ecologista “Os Verdes” - PEV, deslocaram-se várias vezes ao local para terem a verdadeira dimensão da “aberração” proposta pelo executivo do PS na Câmara Municipal da Nazaré e pelo seu Presidente Walter Chicharro.
 
O PCP e o PEV endereçam uma forte saudação a todos quantos lutaram por esta causa, principalmente ao Movimento Cívico Pela Defesa do Promontório da Nazaré, que serve de exemplo para muitas lutas que virão, porque os atentados não se ficam por aqui, basta olharmos para o areal da praia da Nazaré ou para o estado de abandono da parte “privatizada” da Pedralva, uma opção clara e assumida pelo PS que governa a Câmara Municipal da Nazaré.
 
Para além dos enormes custos para o erário público com o desencadear deste processo, desde logo com os 25 mil euros para a elaboração do programa do concurso e caderno de encargos adjudicado a um escritório de advogados e mais 200 euros para pagamento de um Parecer, faltará agora saber os custos a pagar pelo encerramento deste inquinado processo que nunca deveria ter começado.
 
No entanto, aquilo que de mais significativo se poderá extrair deste triste episódio, é uma colossal derrota política do executivo liderado por Walter Chicharro e uma enorme vitória de todos os que lutaram contra a instalação da Zipline no Promontório da Nazaré.
 
Em defesa dos Trabalhadores e do Povo, da Cultura, dos Serviços Públicos, do Património Natural e
 
Ambiental, com a firmeza e determinação da CDU - Coligação Democrática Unitária - PCP/PEV a
 
LUTA SEMPRE CONTINUA!
 
 
Nazaré, 17 de Junho de 2019
 
 
 
O Grupo de Trabalho da CDU da Nazaré

Imprimir Email

PROJECTO AQUÍCOLA DE BIVALVES PODERÁ PÔR EM CAUSA ACTIVIDADE PISCATÓRIA NA LAGOA

lagoa da obidos

A Comissão Concelhia de Óbidos, do Partido Comunista Português, considera que a eventual instalação de uma exploração aquícola, junto à Lagoa de Óbidos, no lugar das Salinas do Arelho, cujo projecto foi posto à consideração da Direcção-Geral de Recursos Naturais e Serviços Marítimos, poderá pôr em causa a actividade de apanha de bivalves e com isso a sobrevivência de mais de 200 pescadores e mariscadores e respectivas famílias.
 
Um projecto deste tipo, pela capacidade de produção instalada de bivalves, designadamente de espécies que de forma natural são criados na Lagoa, vem acrescer aos problemas que já afectam a actividade da pesca e de apanha aquele ecossistema: ausência de intervenção no desassoreamento ou incorrecta acção a este nível, passando pela pressão urbanística nas suas margens, até à persistente descarga de efluentes urbanos sem tratamento.
 
A Comissão Concelhia de Óbidos, do PCP, considera que, a instalação de qualquer projecto com a natureza do que agora foi conhecido, pelo menos seus traços gerais, de crescimento e engorda em regime extensivo, de bivalves que crescem na Lagoa, deve merecer da parte das entidades responsáveis pelo seu licenciamento, mas em especial dos membros do Governo que tutelam a Lagoa – o Ministro do Ambiente e a Ministra do Mar – a necessária intervenção, no sentido de serem salvaguardados os interesses dos pescadores e mariscadores locais.
 
No entender do PCP, qualquer projecto que venha a ser instalado deve ter em conta a opinião e a participação dos pescadores e mariscadores da Lagoa, fora do contexto de uma mera consulta pública, que até já decorreu, mas que só foi conhecida dos interessados depois de o prazo se ter esgotado, não tendo podido por isso, participar na mesma, até porque a Associação dos pescadores e mariscadores da Lagoa de Óbidos apresentou em tempos um projecto semelhante que a DGRM rejeitou.
 
Exigimos, deste modo, que a Associação que os representa seja ouvida, urgentemente, pelas entidades que tutelam o sector, afim de salvaguardar os interesses dos pescadores e mariscadores.
 
Não é aceitável que a eventual instalação desta exploração aquícola, de que é co-promotor, o ex-Presidente da Câmara Municipal de Óbidos, Telmo Faria, se constitua como mais um problema para a Lagoa – o do fim da actividade da pesca e de apanha de bivalves, como actividade económica que é fonte de rendimento exclusivo para mais de 200 famílias. Um problema que se estenderá aos concelhos de Óbidos e Caldas da Rainha pelas repercussões que trará indirectamente para a economia local.
 
A Comissão Concelhia de Óbidos, na medida das suas possibilidades tudo fará para que os interesses da Lagoa de Óbidos e daqueles que dela vivem, sejam devidamente salvaguardados.
 
Óbidos, 1 de Abril de 2019
 
A Comissão Concelhia de Óbidos do Partido Comunista Português

Imprimir Email

Almoço comemorativo do 98º Aniversário do PCP

1 Bombarral

No Bombarral ontem, dia 24 de Março, realizou-se um almoço comemorativo do 98º Aniversário do PCP no Centro Cultural Desportivo Recreativo de São Mamede. Uma iniciativa construída pelo trabalho militante que decorreu em ambiente de convívio e camaradagem que contou com a participação de Filipe Rodrigues, membro do Comité Central do PCP.

Imprimir Email

X Assembleia de Organização Concelhia de Alcobaça PCP

1 2

3 4

Realizou-se no dia 23, sábado, a X Assembleia de Organização Concelhia de Alcobaça PCP no Centro de Trabalho concelhio do PCP, que contou com a participação de Ângelo Alves da Comissão Política do Comité Central. Procedeu-se ao balanço do trabalho realizado, analisou-se a situação política e social do país, da região e do concelho e apontaram-se orientações e medidas para o futuro. Foi ainda eleita uma nova Comissão Concelhia. Foi um importante momento para os comunistas do concelho de Alcobaça que saíram da assembleia confiantes no futuro!

 

Imprimir Email

Nota de imprensa sobre Encerramento dos CTT em Pataias

Caras(os) alcobacenses,

Em 2018 a Administração dos CTT tornou público mais um pacote de medidas destinadas a garantir a distribuição de chorudos dividendos aos seus accionistas. Medidas que são consequência de um criminoso processo de privatização que o Governo PSD/CDS culminou, após longos anos de uma preparação que contou com o envolvimento do PS.

Anunciaram o despedimento de mais trabalhadores a venda de mais património e o encerramento de mais estações. Este pacote soma-se ao que estava já em curso, com a tentativa de despedimento de outros 340 trabalhadores na sequência de uma previsão de lucros para 2017 de «apenas» 19 milhões de euros. Entretanto, agrava-se o desinvestimento, a descapitalização, a sangria da empresa e do seu património, com a distribuição de dividendos aos accionistas muito acima dos lucros registados.

Neste âmbito a CDU vem demonstrar o seu repúdio pela decisão vinda a público de encerrar o balcão dos CTT em Pataias.

Estamos a assistir ao aprofundar do caminho desastroso aberto com a privatização dos CTT, com os grupos económicos que hoje controlam a empresa a descapitalizá-la, a alienar património, a degradar o serviço a níveis escandalosos.

Atrasar, empatar, ludibriar a questão de fundo que é a decisão sobre o controlo da empresa, é estar conivente com os interesses do grande capital. É essa a opção que o Governo PS tem de fazer.

É um imperativo nacional, de soberania, coesão territorial e justiça social, que se inicie o processo de recuperação do controlo e gestão do serviço postal universal por parte do Estado, através da reversão da privatização dos CTT-Correios de Portugal.

Chamamos ainda a vossa a atenção para o Dossier online que o PCP editou aquando da vinda a público das medidas referidas: http://www.pcp.pt/preciso-libertar-ctt-da-ruinosa-gestao-privada

Imprimir Email