sexta-feira, 24 janeiro 2020
  • Início

Sobre o incêndio em Pedrogão Grande e concelhos adjacentes

NOTA DO GABINETE DE IMPRENSA DA DOR LEIRIA DO PCP

 

transferir

Face à tragédia resultante do incêndio que afecta o concelho de Pedrogão Grande e outros concelhos adjacentes a Direcção da Organização Regional de Leiria do Partido Comunista Português:

 

1 - Expressa a sua profunda consternação pela perda de vidas nesta catástrofe – tão mais dolorosa quanto em tão elevado numero - e expressa os seus pêsames e sentimentos de solidariedade a todos os familiares e amigos das vítimas.

 

2 – Sublinha, valoriza e expressa o seu reconhecimento pelo abnegado e corajoso trabalho dos bombeiros e de outros profissionais da protecção civil, realizado em condições atmosféricas manifestamente difíceis e profundamente adversas à missão de combate a incêndios.

 

3 - Considera que as autoridades competentes, nomeadamente o Governo português, devem tomar todas as medidas adequadas à gravidade da situação e decidir celeremente de todos os apoios do Estado possíveis para apoiar os que perderam os seus entes queridos, as suas habitações, explorações agrícolas, florestais ou outros bens materiais.

 

4 - Informa que envidará esforços imediatos para, por via do Grupo Parlamentar do PCP na Assembleia da República e dos Deputados do PCP no Parlamento Europeu, avaliar e canalizar todos os apoios que possam fazer frente aos prejuízos e danos resultantes da tragédia que se abateu sobre estes concelhos do norte do Distrito de Leiria.

Para tal uma delegação da Direcção da Organização Regional de Leiria deslocar-se-á hoje durante o dia às áreas afectadas para avaliar das consequências desta tragédia e das medidas a serem tomadas. De igual forma o deputado Bruno Dias integrará uma delegação parlamentar com o objectivo de avaliar a situação no terreno.

 

5 - A DORLEI do PCP sublinha que a tragédia hoje vivida, mais do que servir para dirimir argumentos sobre responsabilidades, deve obrigar à reflexão imediata e à decisão sobre medidas em três aspectos essenciais:

a) Os meios que a Protecção Civil tem ao seu dispor para o combate aos incêndios, tendo em conta o quadro climatérico que será, previsivelmente, bastante adverso, nomeadamente quanto a investimentos em meios terrestres e aéreos e outros equipamentos colectivos.

b) - As condições de intervenção dos operacionais que estarão no terreno durante as fases mais agudas da época de incêndios - nomeadamente quanto à formação ministrada;  aos equipamentos individuais; às condições materiais para o desenvolvimento das suas tarefas (designadamente quanto à valorização do pagamento às Equipas de Combate a Incêndios Florestais); e quanto à disponibilidade de meios humanos nas corporações de bombeiros tendo em conta os graves problemas sociais que persistem e o elevado nível de emigração com especial incidência nas regiões rurais

c) - O trabalho de prevenção de incêndios e defesa da floresta. Neste aspecto o PCP relembra a sua posição – atempadamente expressa - de que a “Reforma Florestal” do Governo PS não responde aos principais problemas da floresta portuguesa, significando uma continuação, no essencial, da política de anteriores governos, que por isso contribuirá agravar esses mesmo problemas.

 

6 – O PCP considera que uma das questões centrais para evitar tragédias como a de hoje é a inversão da tendência da desresponsabilização do Estado na gestão da floresta, na prevenção e combate a incêndios e no ordenamento do território e combate à desertificação.

É necessário inverter o esvaziamento humano de estruturas da Administração Central e a rarefacção de meios financeiros para a floresta e para o apoio à actividade agrícola. Nesse sentido a DORLEI do PCP reitera a sua condenação do encerramento de vários serviços da Direcção Regional de Agricultura no Distrito de Leiria.

É necessário valorizar a importância e o papel dos pequenos produtores e compartes dos Baldios, dar mais meios e poder de decisão às suas associações, dar resposta ao problema central do baixo preço do material lenhoso e assegurar o ordenamento da floresta, designadamente através da elaboração do Cadastro Florestal com os meios financeiros adequados.

 

7 - Os problemas da floresta portuguesa e as catástrofes como a de hoje não resultam apenas das condições climatéricas extremamente adversas que se verificaram no dia de ontem.

Decorrem também da destruição da pequena e média agricultura, do desaparecimento de muitos milhares de explorações familiares e da desertificação do mundo rural e do interior do País. Catástrofes como esta são ainda indissociáveis da aplicação da PAC e das suas desastrosas reformas, bem como do resultado de políticas agro-florestais, orçamentais e de serviços públicos contrarias aos interesses dos agricultores e do mundo rural.

18 de Junho de 2017

O Gabinete de Imprensa da

Direcção da Organização Regional de Leiria do PCP

 

Imprimir Email

Apresentação de candidatos no concelho de Óbidos.

apresentacao candidatios Obibos 1 apresentacao candidatios Obibos 2

apresentacao candidatios Obibos 3 SAM 0188

 

REFORÇAR A CDU EM ÓBIDOS

 

A CDU – Coligação Democrática Unitária – PCP/PEV, apresentou no dia 4 de Junho os cabeças de lista à Câmara Municipal e à Assembleia Municipal do Concelho de Óbidos e os candidatos a presidentes de junta do Olho Marinho; Gaeiras; e Sobral, Santa Maria e São Pedro. Em Óbidos a CDU tem crescido na sua intervenção na resolução dos problemas da população. Os eleitos da CDU têm desenvolvido uma intensa luta pela melhoria das condições de vida da população. José Rui Raposo, Cabeça de lista à Camara Municipal deu vários exemplos: A luta contra a municipalização da educação, pela melhoria das condições dos Centros de saúde do concelho, a luta pela modernização e requalificação da Linha do oeste, pela defesa da Lagoa de Óbidos e do Planalto das Cezaredas, pela requalificação do Património histórico do concelho entre outros problemas que foram resolvidos a partir da intervenção dos eleitos da CDU.

Dessa intensa intervenção e prestação regular da actividade desenvolvida, a CDU é reconhecida como a mais coerente força política do concelho na oposição à gestão do PSD. Uma força que não regateando esforços para denunciar o que está mal, pauta também a sua intervenção pela proposta. Seja nos Órgãos Autárquicos, seja ao lado das populações na luta a CDU tem tido uma larga intervenção na defesa dos serviços públicos e dos interesses do concelho. José Rui Raposo afirmou a confiança no reforço das posições da CDU, nomeadamente com a apresentação em breve de listas a freguesias onde até agora não tinha sido possível fazê-lo. A Cabeça de Lista à Assembleia Municipal destacou na sua intervenção o papel da CDU na Assembleia Municipal tendo realçado que mais força e mais votos à CDU significa a garantia de mais intervenção na defesa dos interesses dos trabalhadores e da população do concelho Óbidos.

A encerrar a iniciativa de apresentação de candidatos em Óbidos, Ângelo Alves, membro da Comissão Política do PCP, responsável pela Organização Regional de Leiria, salientou a importância local destas eleições, e sublinhou que num distrito marcado pela influência do PSD o voto na CDU é a melhor garantia para a construção de reais alternativas à gestão autárquica daquele partido. Apelando à participação de todos numa campanha de participação popular, Angelo Alves salientou que o reforço da CDU é, a par com a intensificação da luta dos trabalhadores e do povo, um importante factor para no plano nacional levar mais longe a reposição de direitos e rendimentos, abrindo caminho a uma ruptura com a política de direita e a submissão à União Europeia e à construção de uma política patriótica e de esquerda.

 

 Câmara Municipal de Óbidos
José Rui Rapos
59 anos Técnico sindical e formador em Segurança e Saúde no Trabalho. Licenciado em Ciência Política e da Administração. Membro do Conselho Nacional Florestal, em representação da CGTP-IN. Membro da Assembleia Municipal de Óbidos em regime de substituição. Cabeça de lista da CDU para a Câmara Municipal de Óbidos, nas eleições autárquicas de 2009 e 2013. Membro do Executivo da Direcção de Organização Regional de Leiria e da Comissão Concelhia de Óbidos, do Partido Comunista Português. Porta-voz da Comissão Para a Defesa da Linha do Oeste.

 

 Assembleia Municipal de Óbido
Sílvia Maurício Correia
41 anos. Investigadora Pós-Doutorada na área da Infecção e Imunidade.
Membro da Assembleia Municipal de Óbidos, onde é líder do grupo municipal do PCP. Membro da Assembleia Intermunicipal da Oeste-Comunidade Intermunicipal. Membro da Comissão Concelhia de Óbidos, do PCP. Membro da direcção da Associação de Pais do Complexo Escolar do Furadouro.

 

 Assembleia de Freguesia do Olho Marinho 
Hélio Martins Santos
44 anos. Jardineiro. Militante do PCP. Membro da Comissão Concelhia de Óbidos e da Direcção de Organização Regional de Leia do PCP. Eleito na Assembleia de Freguesia do Olho Marinho, desde 2009. É dirigente associativo na Freguesia do Olho Marinho e activista na defesa do Planalto das Cezaredas.

 

 Assembleia de Freguesia das Gaeiras 
António Marques Ribeiro.
72 anos. Sociólogo. Militante do PCP. Exerceu funções de vereador na Câmara Municipal de Loures. É eleito da CDU, na Assembleia de Freguesia das Gaeiras, desde 2013. Foi dirigente associativo na freguesia das Gaeiras com destaque  para a sua participação na associação “O Socorro Gaeirense”.

 

 Assembleia de Freguesia de Stª. Maria/S.Pedro/Sobral
José Marques Leal
61 anos. Técnico Operativo de Estações de Tratamento na empresa Águas do Oeste. Candidato independente nas listas da CDU para a Freguesia do Sobral da Lagoa, em 2009 e para a Freguesia de Santa Maria/S.Pedro/Sobral, em 2013.

 

 

 

 

 

 

 

Imprimir Email

A CDU - Coligação Democrática Unitária PCP/PEV apresentou no passado Domingo, dia 28 de Maio em Pombal os cabeças de lista à Câmara municipal e Assembleia municipal.

Apresentacao candidatos1 Apresentacao candidatos3

       Fernando Domingues                                          Jorge Neves

apresentacao candidatos2

         Filipe Rodrigues

 

A CDU - Coligação Democrática Unitária PCP/PEV apresentou no passado Domingo, dia 28 de Maio em Pombal os cabeças de lista à Câmara municipal e Assembleia municipal. Fernando Manuel dos Santos Domingues, 60 anos de idade, membro da Comissão Concelhia de Pombal do PCP e do Executivo da Direcção Regional do PCP e Jorge Rodrigues Das Neves, 47 anos de idade, membro da Comissão Concelhia de Pombal do PCP e actualmente eleito na Assembleia municipal de Pombal pelo PCP. 
Dois camaradas ligados à vida e à luta dos trabalhadores, à luta pela melhoria das condições de vida dos trabalhadores população de Pombal e com profundas ligações ao movimento associativo no concelho de Pombal. Por isso o reforço da CDU nas próximas eleições autárquicas com mais votos e mais eleitos, significa mais condições para continuar a luta na defesa dos interesses dos trabalhadores e da população do concelho de Pombal. Este acto público teve a participação de Filipe Rodrigues, membro do Comité Central do PCP.
 
 
 
Fernando Manuel dos Santos Domingues
Foi fundador da AJEC (Associação Juvenil e Educativa do Barrocal,
Foi Atleta do Sporting Clube de Pombal.
Foi fundador da Associação de estudantes da escola secundária Industrial e Comercial, Domingos Sequeira em Leiria e do jornal "O Elo". 
Foi fundador da Associação de estudantes do Instituto Superior de Engenharia de Coimbra
Foi dirigente do Sindicato metalúrgico do distrito de Leiria e delegado sindical na empresa Molde Matos
Membro da Direcção Nacional da JCP
Eleito presidente do Conselho Directo da Assembleia de Compartes dos Baldios do Barrocal, Casal Novo, Courã, Caia, Covão da Silva e Caseirinhos
 
Jorge Rodrigues Das Neves
Trabalhador dos CTT.
Dirigente sindical do SNTCT até 2008
Membro da comissão de trabalhadores dos CTT
Foi membro do TAC (teatro amador da Cartaria) desde a sua fundação, membro de diversas comissões de festas da Cartaria.
Co-fundador do Moto Clube De Pombal, onde é vice-presidente.
Dirigente da AMCRC (associação de melhoramentos, cultura e recreio da Cartaria)
 

Imprimir Email

Mais artigos...