Comissões Concelhias

Reordenamento florestal e prevenção em vez de mais dinheiro para o combate.

1. Reordenamento florestal e prevenção em vez de mais dinheiro para o combate.
2. Saudação aos Soldados da Paz. Matas Nacionais (de Pataias e Vimeiro).
 
1. A CDU entende que o governo PSD.CDS também falhou completamente nesta frente da prevenção e reflorestamento da Floresta ao apostar mais nos negócios de combate aos incêndios (80 milhões para aeronaves enquanto apenas 30 milhões para Bombeiros e câmaras) em vez de dar vida e qualidade às florestas com pessoas que as saibam cuidar, não obstante os apoios comunitários existentes que não aproveita, e com o investimento no uso de espécies florestais autóctones. A gravidade da lei da eucaliptização ao serviço da indústria do papel fez com que a área de eucaliptos já supera as do pinheiro e do sobreiro. Nas equipas de Sapadores Florestais reina a instabilidade. O que urge fazer no ordenamento, tratamento, limpeza, aceiros, povoamento está tudo por fazer. 
A CDU destaca a falta de consideração para com os heróicos Soldados da Paz, quando o (des)governo não entrega equipamentos de protecção individual ou paga, apenas,  a 1,87 euros à hora nas Equipas de Combate a Incêndios.
A CDU releva, que é absolutamente necessário inverter a lógica actual e as prioridades que levam a existir mais orçamento para o combate aos incêndios do que para a prevenção dos fogos florestais. Defendemos o Reordenamento Florestal.
 
2. A Coordenadora Concelhia da CDU saúda a eficácia e o esforço dos SOLDADOS DA PAZ do nosso município e releva que, depois de tantos alertas, verifica que Alcobaça não escapou este ano a este flagelo.
Reclama que haja rápida descoberta dos criminosos que provocaram incêndios mas também não esquece a responsabilidade de não haver vigilância nas Matas Nacionais, neste caso de Pataias e a especial Mata do Vimeiro (que não sucumbiu pela rápida intervenção e controlo dos Bombeiros de Alcobaça).
Mais uma vez, insistirá em Câmara e na Assembleia Municipal para que se invista na vigilância nas zonas de risco, bem conhecidas dos autarcas das freguesias, da Protecção civil e dos nossos Bombeiros.
 
 
COORDENADORA CONCELHIA DA CDU
ALCOBAÇA, 10 de agosto de 2015
 

COMUNICADO DE IMPRENSA_3 Agosto_2015

I.O governo PSD.CDS prejudica os micro, pequenos e médios empresários.
 
II. A péssima gestão das propriedades municipais.
 
I.Os micro, pequenos e médios empresários foram, e estão a ser, prejudicados pelo governo PSD.CDS. As suas empresas sofreram com a diminuição do poder de compra das famílias, a que se somaram os custos de diversos factores de produção, a subida brutal da carga fiscal, o garrote no acesso ao crédito e a continuação da exploração das empresas e sectores produtivos pelos grandes grupos económicos, nomeadamente os da grande distribuição que conduziram a milhares de insolvências e encerramentos com graves consequências económicas e sociais deixando os seus gestores sem qualquer cobertura social não obstante a sua carreira contributiva gerando uma nova classe de pobres e excluídos
O empobrecimento destas empresas contrasta com a situação das grandes empresas, que delas se alimentam, cotadas (excluídas as do sector financeiro) que desde 2008 distribuíram aos seus accionistas 13 mil milhões de euros, em prejuízo do investimento das próprias empresas e da redução da própria dívida, que continuou, a crescer contribuindo para o endividamento do País.
 
II.A nível local a CDU reafirma a crítica à péssima gestão da maioria PSD que seguindo a politica nacional (des)governa o nosso concelho de Alcobaça há dezassete anos e meio, neste caso. Damos exemplo, apenas, de 5 propriedades municipais, que ao não serem potenciadas implicam mais prejuízo ao erário público. Esta (des)governação não promove o desenvolvimento do concelho, não ajuda a fixar jovens quadros, nem a criar emprego. São muitos milhões de euros, e são milhares de Alcobacenses que deixam a sua terra e as suas famílias.  
1.Quinta da Serra –ALEBenedita
2.Quinta da Cela – Alfeizerão
3.Cova da Onça – Alcobaça
4.Zona Industrial do Casal da Areia
5.Camarção e Terreno da Zona Industrial – Pataias- Martingança
 
 
COORDENADORA CONCELHIA DA CDU
ALCOBAÇA, 3 de agosto de 2015
 

COMUNICADO DE IMPRENSA

1. Mosteiro de Cós tem de ter alternativas para o turismo.
 
   A CDU acompanhou a aposta da Câmara e da Junta de Freguesia na divulgação e na colocação de guia para os turistas que visitavam o Mosteiro de Cós no ano de 2014. O que é inaceitável é que, em plena época turística de 2015, se venha a saber que o projecto acabou e que não foram encontradas alternativas mínimas. A CDU vai reclamar da Câmara Municipal: informação, prestar de contas do investimento e soluções.
 
 
2. A água é de todos. Contra a criação do mega sistema multimunicipal e contra a presidência nos vencimentos do Presidente da Câmara Municipal de Alcobaça.
 
   A CDU entende que a água é um bem de todos e não deve ser privatizada. A CDU considera errado que o Presidente da Câmara de Alcobaça integre as estruturas dirigentes (Presidente da Comissão de Vencimentos) do mega sistema multimunicipal “ÁGUAS de Lisboa e Vale do Tejo”, que muitas câmaras reclamam ser inconstitucional e é mais uma machadada à autonomia do Poder Local, nos interesses dos municípes e à revelia dos pressupostos assumidos na adesão, no nosso caso, à “Águas do Oeste S.A.”.
 
Mais uma vez Paulo Inácio decide sozinho, sem ouvir a oposição. Esta fusão de vários sistemas multimunicipais inclui a “ÁGUAS DO OESTE” à qual a Câmara (Serviços Municipalizados) tem mais de 10 Milhões de euros de dívida, para dirimir por “ÁGUA EM ALTA” contratada e não consumida.  
 
A CDU de Alcobaça não aceita a pressão e a chantagem para retirar o direito da intervenção e gestão do sistema em baixa ou a entrega das potencialidades que Alcobaça tem na água, em outros contratos ruinosos. O caminho correcto é o de combater esta fusão ruinosa, cooperando e lutando com os municípios (de maioria PS, ou PSD ou independentes ou CDU) que lutam, por todas as formas, contra esta política errada do governo PSD.CDS, em relação à água e ao saneamento.
 
 
COORDENADORA CONCELHIA DA CDU
ALCOBAÇA, 27 de julho de 2015

 

Comunicado da CDU_ Alcobaça

A dívida à Águas do Oeste continua a crescer
por água não fornecida e  que não se consome
 
Hoje, na reunião de câmara, vem uma adenda à dívida dos Serviços Municipalizados de Alcobaça, (por ÁGUA QUE NÃO SE CONSUMIU), de mais 1,8 milhões de euros (em poucos meses de 2015). É bom lembrar que a empresa Águas do Oeste assinalava que Alcobaça devia 9,2 milhões de euros, no final de 2014.
O fornecimento de ÁGUA EM ALTA é um dos CONTRATOS RUINOSOS que o PSD assinou com o beneplácito de quase todos na câmara e na Assembleia Municipal, mesmo com os alertas da CDU, antes, durante e após a votação!
Com a maioria PSD.Paulo Inácio, na câmara, houve alteração de posição, mas sem conseguir nada de concreto em 5 anos! É o mínimo: está em luta contra o não se pagar água que não se consome!
 
A “ÁGUAS DO OESTE” é um sorvedouro de recursos municipais de Alcobaça. Nos Serviços Municipalizados há o antes e há o depois desta empresa. O outro CONTRATO RUINOSO tem a ver com o saneamento, com a entrega das nossas Estações de Tratamento, incluindo o pagamento do tratamento da água da chuva (a rede dos pluviais só cresceu 270 m em 2014) e o custo do tratamento dos efluentes domésticos nas nossas ex-ETAR’s que passou de 33 escudos para mais de 0,7€ por metro cúbico. 
 
A nível nacional o PSD.CDS decidiu constituir, recentemente, 1 Mega Sistema Multimunicipal que vai do atlântico à fronteira espanhola com objectivos, não disfarçados, de engolir as poucas autonomias que temos na gestão da água e do saneamento e levar estas gestões para o negócio dos privados. O que podia dar lucro foi hipotecado e é um garrote para o Poder Local!
 
Urge promover a alteração política nacional que passe a ser soberana e patriótica.
A ÁGUA É UM BEM DE TODOS!!!
 
No local e no nacional a CDU tem soluções, somos alternativa!!!
 
 
COORDENADORA CONCELHIA DA CDU
ALCOBAÇA, 8 de junho de 2015

Contra a perda de postos de trabalho. 35 horas sem banco de horas. Contra a adaptabilidade.

Não podemos ignorar que foi com a legislação do governo PS, que o governo PSD.CDS agravou, que a Câmara perdeu 57 trabalhadores desde 2009! Menos 57 famílias que deixaram de ter receita via o seu trabalho útil e necessário no município.
Os Serviços Municipalizados perderam 22 trabalhadores! Menos 79 (com as 57 da câmara) famílias que deixaram de ter receita. Os outsourcing’s cresceram e não são solução para a CDU.
 
No horário de trabalho o PSD.CDS foi mais longe e prejudicou as famílias e os trabalhadores com a imposição das 40h na Função Pública.
A Câmara de Alcobaça, o governo e os sindicatos da UGT assinaram um acordo implementando as 35h com a “adaptabilidade” e com o Banco de horas que faz perder todo o direito das horas extraordinárias. 
O Município de Alcobaça aceitou, assim, perder a sua autonomia, consagrada na Constituição e entregou direitos dos trabalhadores.
 
Presidente da Câmara informou, em reunião de câmara de 25 de maio 2015, que não havia descontentamento dos trabalhadores. Não foi o que se viu no dia 12 de Junho de 2015! Qual é o trabalhador que pode aceitar que passe a ter 11h diárias de trabalho ou 45h semanais, as quais possam ser compensadas, apenas, quando ao Vereador, ou ao Presidente interessasse?
Enquanto assinava a traição, o STAL e trabalhadores do município, protestavam em frente ao edifício da Câmara. 
 
A CDU vai recolocar o assunto em Câmara e vai estar contra na Assembleia Municipal e tudo fará para que seja revogado este texto que inclui a adaptabilidade e o banco de horas. Nós sabemos da deliberação do último Congresso da ANMP. Nós sabemos que é ilegal a assinatura do Secretário de Estado da Administração Pública, por violar a autonomia do Poder Local e o direito constitucional à livre negociação entre entidade empregadora e entidade representativa dos trabalhadores. Sabemos que o Conselho Consultivo da Procuradoria Geral da República, em resposta a consulta do Governo, deixou claro que “está vedada aos membros do Governo a faculdade de dar ordens ou emitir directivas à entidade autárquica” na celebração de acordos de trabalho.
 
 
 
No local e no nacional a CDU tem soluções, somos alternativa!!!
 
 
COORDENADORA CONCELHIA DE ALCOBAÇA DA CDU 
 
2018 Organização Regional de Leiria do PCP | www.pcp.pt | Joomla Templates Free.