quinta-feira, 24 setembro 2020

Acções e Iniciativas

Já se prepara a Festa de Verão na Foz do Arelho!

 

Festa de Verão

Está em curso a preparação da Festa de Verão do PCP na Foz do Arelho, agendada para o próximo dia 12 de Julho. A iniciativa, realizar-se-á como habitualmente numa ampla zona de pinhal nas margens da Lagoa de Óbidos, junto ao Penedo Furado.

limpeza terreno

No terreno decorrem desde o passado dia 20 de Junho actividades de limpeza e desbaste de vegetação, entre outras. Nas organizações do Partido discutem-se as novas medidas de segurança e higiene, e tomam-se um conjunto de medidas de organização da iniciativa.

A Festa de Verão sofrerá este ano algumas alterações no contexto do surto epidémico da COVID-19, nomeadamente com a não realização do habitual almoço (a iniciativa terá início pelas 14:00); com o controlo de entradas e saídas do recinto do evento; com a limitação do número de pessoas; e com a montagem de uma esplanada de acordo com as regras da DGS, alem de medidas especificas de desinfecção e limpeza.

Haverá espaço, ainda assim, para um pequeno “mercado” de produtos regionais e algum artesanato, simbolizando o compromisso do PCP com a produção nacional e regional;  para uma banca de livros reafirmando o compromisso de sempre do PCP com a cultura; um pequeno bar e ainda outras formas de convívio que assegurem o total cumprimento das normas de protecção e higiene.

limpeza terreno 1

A Festa terá um momento musical com Nélson Rodrigues e Joaquim Raminhos que interpretarão música portuguesa ligada à luta dos trabalhadores e do povo. A iniciativa culminará com um momento político em que intervirão dirigentes nacionais e regionais do PCP.

Com esta iniciativa o PCP pretende demonstrar novamente que é possível manter a intervenção política e o direito ao lazer, cumprindo as regras sanitárias que o actual momento exige. É com esta convicção e empenho que a limpeza e preparação do terreno continuarão nos próximos dias, com a valiosa contribuição do trabalho voluntário de camaradas e amigos do Partido, e que nas organizações do Partido no Distrito de Leiria se prosseguirá a preparação e mobilização.

Imprimir Email

Grande jornada de contactos com os feirantes do Mercado de Santana

mercado de santana

No passado Domingo, o PCP deslocou-se ao Mercado de Santana numa importante jornada de contacto com os Feirantes, de modo ouvir os seus -problemas e divulgar as propostas que tem vindo a apresentar na Assembleia da República em defesa do sector.

mercado 1 mercado 2

Ao contrário das grandes cadeias de supermercados, as feiras e os mercados foram encerrados durante o período de pandemia, conduzindo ao agravamento das dificuldades do sector e do desespero dos feirantes.

O PCP não só alertou oportunamente o Governo para a dramática situação dos vendedores feirantes, que desempenham um papel fundamental na dinamização de economias locais e no abastecimento às populações; como também apresentou no início deste mês um Projecto de Lei com medidas específicas para atenuar as pesadas perdas de rendimento bem como para apoiar a retoma da sua actividade.

mercado 3 mercado 4

Foi neste sentido que, numa jornada conjunta das Organizações Regional de Leiria e Santarém, o PCP contactou com dezenas de Feirantes do Mercado de Santana, tendo ficado patentes as dificuldades e justas reivindicações que estes ainda enfrentam, mesmo após a reabertura do recinto. As perdas de rendimentos, que no mínimo atinge os 50%, e o sentimento de abandono por parte do Governo foram apenas algumas das muitas queixas e denúncias que os feirantes partilharam com o PCP.

mercado 5

O surto epidémico da COVID-19 veio agravar um contexto que já era aflitivo antes da chegada do vírus. Uma consequência de longos anos de desvalorização e de falta de reconhecimento pelo duro trabalho levado a cabo por milhares de homens e mulheres do sector feirante. São necessárias, portanto, respostas a problemas antigos e recentes, que assegurem a dignidade da profissão e agora medidas adicionais de protecção sanitária do seu exercício.

É por isso que, para além da reabertura generalizada dos mercados e feiras do país, o PCP defende no seu Projecto de Lei uma linha de apoio à beneficiação de recintos de feiras e mercados; apoio fiscal nos combustíveis; levantamento das restrições no acesso aos apoios já decididos; a atribuição de um apoio mensal no valor mínimo de €438,81 ao rendimento de microempresários ou empresários em nome individual; e a suspensão este ano do Pagamento por Conta em sede do IRC e devolução dos valores em dívida às MPME's.

Depois de meses de quase total interrupção da actividade, estas são medidas urgentes que o PCP teve a oportunidade de divulgar junto dos feirantes do Mercado de Santana. Ao PCP coube também o papel de apelar à união e organização dos Feirantes, de modo a terem a força necessária para lutar pelos seus interesses e fazer frente aos ataques contra o sector.

Nesta importante jornada, o PCP reafirmou aos feirantes que podem contar com a intervenção do Partido na defesa da sua actividade e dos seus direitos. Num momento sensível e de enormes dificuldades, o PCP voltou a dizer presente junto daqueles que não podem ser esquecidos.

Imprimir Email

Deputados do PCP no Parlamento Europeu concluem Jornadas de Trabalho no Distrito de Leiria

Nos passados dias 5 e 6 de Junho os deputados do PCP no Parlamento Europeu, João Ferreira e Sandra Pereira, percorreram os Concelhos de Pombal, Leiria, Marinha Grande, Nazaré, Caldas da Rainha e Peniche num intenso programa de contactos, diálogos, reuniões, encontros e iniciativas no Distrito de Leiria, designadas por “Jornadas de Trabalho”.

João Ferreira e Sandra Pereira realizaram, em dois dias, 20 iniciativas em que contactaram com mais de uma dezena de áreas da vida económica e social do Distrito de Leiria.

    SESSÃO PÚBLICA MARINHA GRANDE 5 JUNHO 2

Os deputados do PCP realizaram encontros com as seguintes entidades e grupos profissionais:

  • Trabalho e direitos dos trabalhadores - Reunião com 12 Sindicatos do Distrito de Leira e com a União de Sindicatos de Leiria
  • Micro Pequenos e Médios Empresários e situação económica na região - Reuniões com as Associações Comerciais e Industriais da Marinha Grande (ACIMG), Leiria (ACILIS e Nazaré (ACISN), e com a NERLEI (Núcleo Empresarial da Região de Leiria)
  • Sector da Pesca e Pescadores - Visita ao Porto de Pesca para contacto com pescadores; Encontro com o Sindicato da Pesca do Centro e Reunião com a ANOP Cerco.
  • Agricultura e Mundo Rural - Encontro com Agricultores, Compartes e Regantes do norte do Distrito de Leiria, com a União dos Agricultores do Distrito de Leiria e com a Associação de Compartes do Barrocal.
  • Marisqueio e Questões Ambientais - Encontro com mariscadores da Lagoa de Óbidos.
  • Produção local e comércio local - Contactos com os vendedores do Mercado Municipal da Marinha Grande
  • Saúde e Serviço Nacional de Saúde - Encontro com profissionais dos hospitais do Oeste e de Leiria e de Centros de Saúde e com o Sindicato dos Enfermeiros Portugueses.
  • Protecção Civil, Bombeiros e Protecção da Floresta - Encontros com os Bombeiros Voluntários das Caldas da Rainha e com o Comandante Distrital Operacional de Leiria (CDOS)
  • Cultura - Encontro com agentes, profissionais e artistas da Cultura nas Caldas da Rainha
  • Mulheres e Igualdade - Encontro com o Movimento Democrático de Mulheres - Distrito de Leiria
  • Movimento Associativo - Encontros com colectividades e associações nos concelhos da Marinha Grande e da Nazaré.
  • Movimento Cooperativo – Visita e encontro com a Direcção da COOPOVO, Cooperativa do Povo da Marinha Grande
  • Ciência e Desenvolvimento Científico - Visita ao CETEMARES - Centro de Investigação e Reunião com a Presidência do IPL.

Os dois deputados do PCP, que foram acompanhados por vários Dirigentes Nacionais e Regionais do PCP, realizaram também uma Sessão Pública na Marinha Grande subordinada ao tema "A União Europeia e a defesa dos direitos, da saúde, dos serviços públicos e da produção nacional", onde intervieram além João Ferreira e Sandra Pereira, Ângelo Alves, membro da Comissão Política do Comité Central, responsável pela Organização Regional de Leiria do PCP e André Martelo do Secretariado e Executivo da DORLEI do PCP, responsável pela Organização Concelhia da Marinha Grande .

    SESSÃO PÚBLICA MARINHA GRANDE 5 JUNHO 8

Nas conclusões das Jornadas no Distrito de Leiria, os deputados do PCP salientaram a necessidade urgente de medidas concretas e eficazes de defesa dos interesses dos trabalhadores do Distrito, em especial a necessidade central de repor o pagamento dos salários a 100%, o respeito pelos horários de trabalho e outros direitos que estão a ser postos em causa em várias empresas e locais de trabalho do sector privado e público. Salientaram ainda a necessidade de um decidido combate à precariedade que está na origem de uma grande parte dos despedimentos entretanto verificados.

    USLEIRIA1

Perante o surgimento de surtos epidémicos em empresas do Distrito – como é o caso da ESIP e da Central Fruteira no Bombarral – o PCP sublinhou três aspectos: a necessidade de serem cumpridas e fiscalizadas as orientações da DGS em todas as empresas do Distrito; a criação de condições para que os trabalhadores se possam deslocar em condições de higiene e segurança sanitária, nomeadamente com o aumento das carreiras rodoviárias; e a necessidade de testagem dos trabalhadores independentemente do seu vinculo laboral, sobretudo em sectores marcados pela precariedade e sub-contratação.

    SINDICATOS DO DISTRITO DE LEIRIA 6 JUNHO LEIRIA 1

O PCP alerta também para a muito complexa situação de milhares de micro, pequenos e médios empresários da região, cuja parte significativa não teve acesso às medidas implementadas pelo Governo, com foi relatado por várias associações comerciais. Nesse sentido o PCP considera que devem ser adoptadas medidas que invertam a actual tendência de concentração de apoios nas grandes empresas. Chama ainda a atenção para a situação do comércio local e dos pequenos lojistas dos centros comerciais a braços com graves problemas e imposições.

  ACILIS LEIRIA 6 JUNHOASSOCIAÇÃO COMERICAL SERVIÇOS NAZARÉ 2ASSOCIAÇÃO COMERCIAL MARINHA GRANDE 6 JUNHO 1

Os deputados do PCP sublinharam também a importância de uma aposta decidida na produção nacional, nomeadamente em áreas fundamentais como a alimentação, a indústria, energia, entre outras. Destacam a necessidade de medidas especificas de apoio e estímulo aos pescadores e agricultores do Distrito, bem como de estratégias de promoção do princípio “consumir local, produzir local”, nomeadamente de promoção do consumo nos mercados municipais, comércio local e estruturas cooperativas.

VENDEDORES MERCADO MARINHA GRANDE 6 JUNHO 7ANOP CERCO 5 JUNHOMARISCADORES LAGOA ÓBIDOS 5 JUNHOPORTO PESCA PENICHE 5 JUNHONERLEI LEIRIA 6 JUNHO 2VENDEDORES MERCADO MARINHA GRANDE 6 JUNHO 2

Na área da Agricultura o PCP tomou conhecimento de vários problemas como as dificuldades de escoamento e o efeito de problemas como a proliferação de Javalis, para os quais é necessária a intervenção do Estado.

  AGRICULTORES E ASSOCIAÇÕES AGRICULTURA POMBAL 6 JUNHOCOOPOVO MARINHA GRANDE 6 JUNHO 1

Das reuniões realizadas ficou ainda mais evidente a importância do investimento nos diversos serviços públicos, nomeadamente no Serviço Nacional de Saúde, elemento central para garantir segurança e condições de vida para os trabalhadores e as populações.

Sobre a questão do Serviço Nacional Saúde foi sublinhada a necessidade de um sério investimento nas estruturas do SNS no Distrito de Leiria, cujas fragilidades estão hoje mais evidentes, apesar da notável resposta dada, determinada em grande parte pelo empenho e dedicação dos profissionais da saúde.

   PROFISSIONAIS SAÚDE 5 JUNHO CALDAS RAINHA 2

Neste sentido o PCP reitera duas propostas fundamentais: a construção de um novo Hospital no Sul do Distrito, sem encerramento dos Hospitais das Caldas da Rainha e de Peniche, e o investimento no reforço da rede de cuidados primários de saúde, que como foi transmitido ao PCP foi fundamental para um acompanhamento e prevenção de proximidade à propagação do coronavírus. Sublinha ainda a necessidade de contratação de mais médicos e enfermeiros, e da valorização salarial dos trabalhadores do SNS, com destaque para os enfermeiros e auxiliares.

Chamando a atenção para vários sectores que estão a ser profundamente afectados com as consequências do surto epidémico da COVID 19 - como é o caso dos trabalhadores da cultura, trabalhadores com recibos verdes, trabalhadores sazonais, trabalhadores independentes, entre vários outros - os deputados do PCP sublinharam a necessidade de alterar políticas que, como transmitido nos encontros realizados, continuam a beneficiar sobretudo os grandes interesses económicos e a deixar para trás dezenas de milhares de pessoas no Distrito. Na reunião com artistas e agentes culturais foi patente a necessidade não só de maiores apoios mas também da adopção de medidas que combatam a precariedade generalizada no sector cultural.

ARTISTAS E PROFISSIONAIS CULTURA 5 JUNHO CALDAS RAINHA 2NAZRE

Na área da Protecção Civil, Bombeiros e Protecção da Floresta o PCP saúda o papel que as estruturas e forças da protecção civil tiveram e continuam a ter no combate ao coronavírus. Chama a atenção para os perigos que persistem no quadro do início da chamada época de incêndios, nomeadamente no Pinhal Interior Norte e Mata Nacional de Leiria, onde as medidas necessárias continuam, três anos após as catástrofes, por concretizar.

   BOMBEIROS VOLUNTÁRIOS CALDAS RAINHA 5 JUNHO 3pinhal 2

O PCP sublinha mais uma vez a necessidade de um programa integrado de desenvolvimento económico e social para o Distrito de Leiria. Como é hoje evidente algumas das razões de fundo que estiveram na origem de catástrofes como os incêndios de 2017 mantêm-se, nomeadamente no plano do abandono do mundo rural, desertificação do interior norte do Distrito e ausência de medidas de ordenamento territorial, florestal e de protecção estrutural da floresta a par com o desinvestimento nos serviços públicos nesta região.

O PCP reuniu ainda com o Movimento Democrático de Mulheres, onde foi informado de vários problemas específicos das mulheres, nomeadamente a prevalência do desemprego – a maioria dos novos desempregados são mulheres – a regressão em vários aspectos dos direitos das mulheres – são elas que por terem salários mais baixos são empurradas para ficar em casa no acompanhamento aos filhos –; a discriminação crescente das mulheres no acesso ao emprego e o flagelo da violência doméstica que afecta na sua grande maioria as mulheres.

    MDM DISTRITO LEIRIA LEIRIA 6 JUNHO

O PCP chama a atenção para a situação do Movimento Associativo em vários Concelhos do Distrito de Leiria, a braços com graves dificuldades financeiras. Em muitas situações trata-se de estruturas das quais dependem trabalhadores e que têm neste contexto um papel fundamental para a coesão social em vários concelhos. O PCP irá continuar a acompanhar esta realidade e irá defender a criação de apoios e medidas específicas para apoiar e salvaguardar o movimento associativo de base popular.

   MOV ASOCIATIVO MG

Os deputados do PCP fizeram também questão de realizar visitas que valorizam exemplos positivos. Nesse sentido realizou uma visita ao CETEMARES onde é visível a articulação da ciência com os interesses da comunidade e da economia local (nomeadamente na área da economia do mar) e onde o Instituto Politécnico de Leiria tomou a decisão de pôr em funcionamento um laboratório de análise de Testes COVID, numa demonstração clara da importância das instituições públicas do ensino superior e investigação científica na resposta ao interesse nacional e das populações.

    CETEMARES PENICHE 5 JUNHO 1CETEMARES PENICHE 5 JUNHO 2

Os problemas, questões, aspirações e reivindicações recolhidas nesta intensa jornada de trabalho dos deputados do PCP no Distrito de Leiria serão agora alvo da intervenção institucional do PCP na Assembleia da República e no Parlamento Europeu, bem como no plano autárquico, seja para denunciar situações, mobilizar apoios ou pressionar políticas que enfrentem os complexos problemas existentes.

9 de Junho de 2020

O Gabinete de Imprensa da DORLEI do PCP  

Imprimir Email

Nem um direito a menos! Acções no Distrito de Leiria

WhatsApp Image 2020 05 20 at 14.59.26

Arranca amanhã dia 21 de Maio a Jornada de Contacto com os trabalhadores

No seguimento da decisão da última reunião do seu Comité Central, o PCP promove, nas próximas semanas, uma jornada de contacto e informação junto dos trabalhadores sob o lema «Nem um direito a menos», inserida na campanha «Valorizar o Trabalho e os Trabalhadores. Não à exploração».

Esta acção, que a vida vem justificar plenamente, pretende fazer a denúncia do agravamento das condições de vida e de trabalho dos trabalhadores, expresso nas centenas de milhar de trabalhadores em lay-off, nas dezenas de milhar de despedimentos, na brutal redução dos salários, nas alterações unilaterais de horários, na imposição de férias, na retirada de direitos.

Como o PCP tem vindo a afirmar repetidamente, a pretexto do surto epidémico, sectores do patronato lançaram mão de uma imensa operação visando a redução de salários e outros rendimentos dos trabalhadores e dos seus direitos, procurando aproveitar a oportunidade para, no imediato, agravar a exploração e transferir para cima dos trabalhadores e da Segurança Social os custos desta fase, e para, a médio prazo, conseguir que esses direitos se percam.

Com acções de contacto programadas para todos os distritos e regiões autónomas, esta jornada pretende ainda fazer a afirmação do conjunto de propostas que o PCP tem apresentado na AR e que, a serem aprovadas, dariam resposta ao essencial dos problemas identificados, como se pode verificar nas proposta de proibição dos despedimentos, de pagamento das remunerações a 100% a todos os trabalhadores ou de regulamentação do subsídio de insalubridade, penosidade e risco para os trabalhadores dos sectores privado e público.

Das mais de seis dezenas de acções a nível nacional amanhã, 21 de Maio (dia em que se inicia a Acção Nacional), a Direcção da Organização Regional de Leiria do PCP informa que no Distrito de Leiria se realizarão as seguintes:

07:15 – Contacto com os trabalhadores da Sumol Compal em Pombal

12:15 – Contacto com os trabalhadores da BA Vidros na Marinha Grande

14:45 – Contacto com os trabalhadores da ESIP/Thai Union em Peniche

16:00 – Contacto com os trabalhadores da Promol nas Caldas da Rainha

Além de outros dirigentes e activistas do PCP participarão nestas acções Ângelo Alves, membro da Comissão Política do Comité Central e Responsável pela Organização Regional de Leiria e Filipe Rodrigues, membro do Comité Central e da Direcção da Organização Regional de Leiria. 

Imprimir Email

Lançamento da Campanha "Valorizar o trabalho e os trabalhadores. Não à exploração!"

20181026 jantar martingança1 copia

PCP lança campanha de contacto e esclarecimento junto dos trabalhadores no Distrito de Leiria 

A Organização Regional de Leiria do PCP dará início, na próxima sexta-feira, 7 de Fevereiro, a uma campanha de contacto e esclarecimento junto dos trabalhadores do Distrito de Leiria com o lema “Valorizar o trabalho e os Trabalhadores. Não à exploração”.

O arranque desta campanha, inserida numa acção nacional do PCP com o mesmo lema, será marcado pela realização, num único dia, (7 de Fevereiro) de 21 acções de contacto e distribuição de propaganda, em 21 empresas  e outros locais de trabalho do Distrito de Leiria distribuídas pelos Concelhos de Ansião, Pombal, Leiria, Marinha Grande, Alcobaça, Porto de Mós, Batalha, Caldas da Rainha, Bombarral e Peniche

A campanha, que se prolongará durante todo o primeiro semestre de 2020 com outras acções de contacto, iniciativas diversas e acções de esclarecimento dirigidas a sectores específicos, tem como objectivos centrais: a denuncia do agravamento da exploração do trabalho e as suas causas, nomeadamente os avultados lucros dos grandes grupos económicos que contrastam com uma política de baixos salários; a propagação da ideia de que, como os últimos quatro anos mostraram, vale a pena lutar pelos rendimentos e direitos dos trabalhadores; o estímulo à unidade, luta e movimento reivindicativo dos trabalhadores; a divulgação das posições e propostas do PCP para a defesa de quem trabalha e que visam levar ainda mais longe a reposição e a conquista de rendimentos e direitos do trabalho.

Temas como: a exigência do fim da precariedade e da desregulação dos horários; o respeito por direitos laborais e sindicais, nomeadamente da contratação colectiva; a reivindicação do direito às 35 horas semanais para todos os trabalhadores; o respeito e cumprimento dos direitos dos trabalhadores por turnos; o aumento mínimo de 90 euros para todos os trabalhadores e do salário mínimo para 850 Euros mensais, serão tocados pela campanha a que o PCP dá agora início no Distrito de Leiria.

Na Sexta Feira, dia 7 de Fevereiro, vários dirigentes regionais e concelhios do PCP marcarão presença à porta de 21 empresas do Distrito cuja lista se divulga com este comunicado. A campanha decorrerá depois, até Junho de 2020, com dezenas de iniciativas como debates, sessões de esclarecimento, acções dirigidas, visitas de deputados do PCP, levantamento de problemas, entre outras

Horários e Localizações das Acções de contacto do PCP na Sexta Feira – 7 de Fevereiro:

07:30 - Leiria - Hospital de Santo André; Pombal - Sumol+Compal; Marinha Grande – Estaleiros da CM da Marinha Grande; Alcobaça – SPAL; Bombarral – Sociedade Agrícola Quinta da Freiria

08:30 - Leiria – Centro Regional de Segurança Social; Leiria – Edificio da CM de Leiria

12:00 - Ansião (Avelar) – Avelmod Téxtil

12:15 - Marinha Grande – CRISAL; Marinha Grande – BA Vidro; Leiria – Novares; Alcobaça – Altantis

13:30 - Pombal – Iber-oleff

14:00 - Peniche – Thay Union (ESIP)

14:30 - Caldas da Rainha – Schaeffler

16:30 - Caldas da Rainha – Promol

17:00 - Caldas da Rainha – Bordallo Pinheiro; Peniche – CM Peniche e SMAS; Porto de Mós – Mat-Cerâmica

17:30 - Ansião – Zona Industrial do Camporez

20:15 - Marinha Grande – Gallo Vidro

 

Imprimir Email

Comício "Intervir, Lutar, Avançar", Marinha Grande, 29.11.2019 - Intervenção de André Martelo, Membro do Secretariado e Executivo da DORLEI

martelo redimensionada

Camaradas:

Aproxima-se o fim de mais um ano em que foram muitas as tarefas e batalhas travadas pelo nosso Partido e pelos seus aliados.

Aqui no distrito de Leiria, como em todo o país, estivemos sempre na primeira linha da dinamização da luta para resolver os problemas dos trabalhadores e das populações, encaramos com determinação as batalhas eleitorais para o Parlamento Europeu e Legislativas, ao mesmo tempo que desenvolvemos esforços para reforçar a organização do nosso Partido, a sua intervenção e influência.

Foi um ano exigente, em que tivemos de concretizar inúmeras tarefas, dar resposta a muitos desafios, preparar e concretizar muitas iniciativas, enfrentar ataques e campanhas caluniosas contra o nosso partido, dinamizar a luta.

Por vezes tivemos de ir encontrar forças onde achávamos que já não tínhamos, para ir a todas as batalhas com confiança e determinação. E fomos camaradas!

Por isso quero em nome da DORLEI saudar todo este nosso valoroso colectivo partidário que se esforçou e fez muito. Saudar todos os homens e mulheres deste nosso Partido que deram o melhor de si para impedir retrocessos e para avançar!

Temos realizado muitas reuniões e plenários no nosso Distrito para debater o que fizemos, mas sobretudo para ver como avançar, como andar para a frente. E aquilo que sentimos é que a nossa organização está unida, confiante, determinada e com disponibilidade para prosseguir e intensificar a luta.

É isso que iremos fazer: Firmes e determinados aqui estamos prontos para intervir mais e enfrentar todos os desafios, confiantes que é pela luta que lá vamos!

É isso que os últimos quatro anos nos demonstram. A luta e a iniciativa do Partido foram determinantes para impedir retrocessos e projectos reaccionários e para avançar na conquista de direitos. E é nesse caminho que iremos continuar a avançar. Com a força da nossa organização, com a força que os trabalhadores e o povo nos deram nas urnas e com aquela que brotará das lutas diárias que continuaremos a travar lado a lado.

Ao olharmos para trás, temos muito orgulho em tudo o que fizemos.

Realizamos importantíssimas campanhas eleitorais. Esclarecemos, fomos ao contacto e à conversa, ouvimos muita gente, afirmámos as nossas propostas e soluções. Estivemos por todo o distrito, nas empresas e locais de trabalho, percorrendo ruas e bairros, defendendo direitos e levando esperança.

Fizemos tudo isto enfrentando silenciamentos e ataques anticomunistas. Mas isso não nos travou. Avançámos assentes na nossa organização e em unidade com os muitos independentes da CDU; com a Intervenção Democrática; e com o Partido Ecologista os Verdes e a nossa primeira candidata aqui no Distrito, a Heloísa Apolónia, que com grande empenho enfrentou esta batalha connosco.

Estamos orgulhosos, e esse orgulho serve para nos dar força e nos projectar para as tarefas e lutas futuras.

E a luta aí está, a desenvolver-se. Saudamos todos os trabalhadores e trabalhadoras do distrito que nas empresas e locais de trabalho exigem uma melhor distribuição da riqueza, melhores salários e condições de trabalho. Saudamos em particular as lutas dos trabalhadores do sector da educação, que realizaram durante o dia de hoje uma importante jornada de greve, mas também os trabalhadores do sector da saúde, da alimentação e bebidas, do vidro, do sector metalúrgico e dos plásticos, entre tantas outras!

A todos eles dizemos que podem contar com o PCP!

Assim como podem contar os pescadores do nosso Distrito confrontados com novas restrições ao seu ganha pão; os agricultores a braços com inúmeros problemas, e as populações nas muitas lutas que aí estão para travar.

Cá estamos para prosseguir a luta em defesa do pinhal de Leiria. Apresentámos recentemente na Assembleia da República uma proposta que prevê um financiamento de 13 milhões de Euros para de uma vez por todas se avançar na reflorestação, recuperação e valorização do nosso Pinhal, que é de todos e tem de ser para todos! E é por isso que rejeitamos o recente programa do Revive que visa alienar as casas do nosso Pinhal, nomeadamente o Parque do Engenho.

Cá estamos para continuar a lutar pela modernização e requalificação da linha oeste, denunciando os atrasos na concretização das promessas feitas na campanha eleitoral, para insistir na nossa exigência de um passe intermodal com tarifários reduzidos para todo o distrito e de melhoria da rede de transportes públicos em vários concelhos do distrito.

Cá estamos a lutar pelo direito à saúde em todo o distrito, nomeadamente com a exigência da construção de um novo hospital para o sul do distrito e de mais médicos, enfermeiros e auxiliares nos nossos hospitais e nos centros de saúde.

Cá estamos para defender o meio ambiente. Exigindo que se cumpra o que se prometeu relativamente à lagoa de Óbidos; que se cuide das arribas do nosso litoral e que se resolva a poluição nos rios Lis e Alcoa.

Cá estamos em tantas outras lutas como pelo direito à educação pública, de qualidade e para todos; pelo direito a serviços de qualidade como no serviço postal ou na justiça; ou em defesa da cultura.

Será como foi até aqui, a luta de massas o elemento decisivo para garantir novos avanços, pela concretização da política alternativa, patriótica e de esquerda.

Em todas estas lutas lá estão e estarão os comunistas.

Em tempos em que o capitalismo em crise recorre cada vez mais à guerra e ao fascismo, em que no nosso País a campanha anticomunista levanta cabeça, é a luta, a organização, o projecto e a memória que será a nossa resposta.

É nesse contexto que valorizamos a luta vitoriosa pela construção do Museu da Liberdade e Resistência em Peniche. Luta que prossegue até que esteja concluído, para que se conheça a heróica história da resistência ao fascismo.

Também por isso no mês de Dezembro evocaremos os 65 anos da fuga de Dias Lourenço e no dia 4 de Janeiro os 60 anos da fuga colectiva da fortaleza de Peniche. Ainda em Janeiro assinalaremos também os 70 anos do assassinato do camarada José Moreira, natural da Vieira de Leiria, construtor do Avante! E do nosso Partido.

Na história do PCP resistir foi sempre tarefa sempre levada à letra. E foi resistindo que fomos avançando, passo a passo, luta a luta. É honrando a nossa história que aqui estamos para avançar e conquistar o futuro.

E para avançar a mais poderosa ferramenta que temos é a organização. Precisamos por isso, todos, de dar mais para reforçar o nosso Partido.

Mais Partido nas empresas e locais de trabalho concluindo a campanha de 5 mil contactos com trabalhadores em todo o país.

Mais Partido com mais recrutamento de mais gente para as nossas fileiras.

Mais Partido garantindo a nossa independência financeira, garante da sua independência política e ideológica e de mais meios para a nossa actividade e intervenção - daí a importância que estamos a dar à campanha de fundos do dia de salário.

Mais Partido difundindo a nossa imprensa, alargando a venda do avante e reforçando a nossa propaganda.

Mais Partido com mais estruturação, mais militantes com tarefas atribuídas, mais trabalho colectivo, mais discussão para tomar decisões sobre intervenção e organização e concretizar orientações, não fechando o Partido sobre si próprio, antes promovendo todas as formas de ligação às massas.

Num Partido revolucionário como o nosso é da militância de cada um que se faz a força do colectivo partidário. Os desafios que temos pela frente são grandes, mas apaixonantes.

Defenderemos e reforçaremos o Partido, asseguraremos que cumpre o seu papel, garantiremos a sua intervenção e alargamento de influência, firmes e determinados nos objectivos, no ideal e projecto comunista, pois é daí que nos vem a inabalável confiança de que é justa e invencível a causa porque lutamos.

Imprimir Email